Exportar registro bibliográfico

Estudo da prevalência do transtorno de ansiedade social em estudantes universitários (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: BAPTISTA, CARLOS ALBERTO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: ANSIEDADE SOCIAL; TRANSTORNOS DA ANSIEDADE; EPIDEMIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivos: O estudo avaliou 2319 estudantes universitários de diversos cursos de graduação, visando determinar a prevalência do transtorno de ansiedade social (TAS) e as características demográficas desta população. Métodos: Aplicou-se coletivamente em sala de aula a escala SPIN (Inventário de Fobia Social), em todos os sujeitos presentes que aceitaram participar. Após esta primeira fase da pesquisa, foram selecionados os indivíduos com escores ‘> OU =’6 na versão abreviada da SPIN (Mini-SPIN), e contatados por telefone para responderem ao módulo de ansiedade da SCID-IV. Foram realizadas análises descritivas (média, desvio padrão e freqüência) e inferências sobre as variáveis estudadas. Resultados: Na primeira fase com a Mini-SPIN obtivemos uma prevalência aparente de 20,6% para o TAS. Após a aplicação da SCIO, confirmou-se o diagnóstico em 56,3% da amostra selecionada pela Mini-SPIN, representando 11,6% da amostra total, considerada a prevalência real do transtorno. Quanto aos tipos de medos, a maioria dos sujeitos com TAS apresentavam medo de falar em público (91,6%), seguido do medo de comer em público (28,3%) e do medo de escrever em público (16,5%). Em relação à instituição e área dos cursos freqüentados; 7,7% dos alunos da FMRP-USP, 13,3% da FFCLRP-USP e 10,3% da UNIFRAN foram classificados como portadores do transtorno, não havendo diferenças significativas (‘’qui’ POT. 2’=0,02; p=0,9). Verificou-se que os sujeitos do sexo feminino apresentaramsignificativamente maior prevalência TAS (N=161 ou 12,5%) do que os indivíduos do sexo masculino (N=76 ou 7,4%) (‘’qui’ POT. 2’=15,8, p<0,0001) . A idade média de início do TAS foi de 11,4 anos (± 0,27) e o tempo médio de doença foi de 10,2 anos (± 0,3). Apenas dois sujeitos (0,8%) identificados como apresentando TAS, referiram terem sido diagnosticados previamente por um profissional de saúde como portadores -do transtorno. Apenas seis indivíduos com TAS (2,5%) tomavam alguma medicação que poderia ser útil no tratamento farmacológico do transtorno A maioria dos pacientes (N=151 ou 63,7%) foi classificada como apresentando TAS moderado, seguido por grau leve (N= 21 ou 21,9%) e grave (N=34 ou 14,3%). Os indivíduos com TAS usavam com maior freqüência (N=55 ou 23,2%) medicações gerais do que os não casos (N=311 ou 14,8%) (‘’qui’ POT. 2’=10,9; p<0,001). Não foram encontradas diferenças significativas (t=0,98; p=0,33) no desempenho acadêmico, avaliado por meio da média ponderada das notas, entre sujeitos com (7,04; ± 1,05) e sem TAS (7,12; ± 1,02). Entretanto, as estudantes do/ sexo feminino com TAS apresentaram significativamente (t=3,29; p<0,001) menores médias (7,06; 1,01) do que as sem o transtorno (7,36; 0,98). Conclusão: O TAS foi identificado como uma condição com prevalência elevada em estudantes universitários, mais comum em mulheres, com um início precoce, curso crônico e sem remissões espontâneas. Da mesma forma, demonstrouser um transtorno sub-reconhecido, sub-diagnosticado, associado à incapacidade sociais importantes e raramente submetido a tratamento. Estratégias que objetivem a detecção precoce do TAS, possivelmente diminuiriam os custos sociais e individuais deste importante transtorno
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.03.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BAPTISTA, Carlos Alberto; CRIPPA, José Alexandre de Souza. Estudo da prevalência do transtorno de ansiedade social em estudantes universitários. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Baptista, C. A., & Crippa, J. A. de S. (2007). Estudo da prevalência do transtorno de ansiedade social em estudantes universitários. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Baptista CA, Crippa JA de S. Estudo da prevalência do transtorno de ansiedade social em estudantes universitários. 2007 ;
    • Vancouver

      Baptista CA, Crippa JA de S. Estudo da prevalência do transtorno de ansiedade social em estudantes universitários. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021