Exportar registro bibliográfico

Comportamento do tomate (Lycopersicon esculentum Mill.) aos indutores de resistência à seca (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, RENATO AGNELO DA - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LPV
  • Subjects: FUNGICIDAS; TOMATE
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho teve por objetivo estudar a influência de um ativador de plantas e de dois fungicidas sobre o comportamento de plantas de tomate (Lycopersicon esculentum Mill.), cultivadas em vasos no interior de casa-de-vegetação, no município de Piedade, SP, e submetidas a diferentes condições de fornecimento de água. Os produtos químicos aplicados de forma isolada foram respectivamente dois fungicidas, a piraclostrobina (PRT) e a azoxistrobina (AZT); um ativador de plantas, o acibenzolar-s-metil (ASM). Foi incluída uma testemunha, sem aplicações de produtos. Todos os tratamentos mantiveram-se sob quatro níveis de água (90%, 72 %, 54% e 36% da capacidade de recipiente do substrato). Foram realizadas quatro aplicações dos produtos, sendo a primeira um dia antes do plantio definitivo das mudas, a segunda aos 10 dias após o plantio (DAP), seguindo-se mais duas aplicações com intervalo de 10 dias entre as mesmas. As avaliações foram efetuadas medindo os seguintes parâmetros: a) peso da massa seca da raiz, da parte aérea e total de cada planta aos 30 e 50 DAP; b) determinação do teor de clorofila das plantas aos 35 DAP, tomando-se como padrão o segundo folíolo da primeira folha abaixo do primeiro cacho floral; c) altura das plantas aos 29 e 49 DAP; d) número de folhas abaixo do primeiro cacho floral, aos 29 DAP; e) número total de folhas por planta aos 29 DAP; f) porcentagem de plantas com o primeiro cacho floral totalmente aberto aos 28 DAP; g) sintomasde deficiência hídrica aos 7 dias após a terceira e quarta aplicação dos produtos. Os resultados indicaram que as aplicações do acibenzolar-s-metil (ASM), piraclostrobina (PRT) e azoxistrobina (AZT) evitaram sintomas visíveis de murcha ocasionada pelo estresse hídrico, enquanto que em situações com maiores níveis de fornecimento de água, ocorreu maior acúmulo de matéria seca nas raízes e na parte aérea do tomateiro
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.11.2006
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Renato Agnelo da; MINAMI, Keigo. Comportamento do tomate (Lycopersicon esculentum Mill.) aos indutores de resistência à seca. 2006.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032007-144309/ >.
    • APA

      Silva, R. A. da, & Minami, K. (2006). Comportamento do tomate (Lycopersicon esculentum Mill.) aos indutores de resistência à seca. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032007-144309/
    • NLM

      Silva RA da, Minami K. Comportamento do tomate (Lycopersicon esculentum Mill.) aos indutores de resistência à seca [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032007-144309/
    • Vancouver

      Silva RA da, Minami K. Comportamento do tomate (Lycopersicon esculentum Mill.) aos indutores de resistência à seca [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032007-144309/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021