Exportar registro bibliográfico

Integração dos sistemas de saúde dos países do mercosul: utopia ou possibilidade? [resumo] (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TANAKA, OSWALDO YOSHIMI - FSP ; FORTES, PAULO ANTONIO DE CARVALHO - FSP
  • Unidade: FSP
  • Subjects: MERCADO COMUM; SISTEMA DE SAÚDE; AMÉRICA DO SUL
  • Language: Português
  • Abstract: O setor saúde tem ocupado papel de destaque nos processos de integração regional do MERCOSUL, devido ao seu dinamismo e alto grau de inovação, destacando-se como gerador e disseminador de conhecimento e tecnologia, e consequentemente, causador de importantes impactos no desenvolvimento social. Justificativa: A análise do processo de integração do setor saúde no MERCOSUL pode colaborar para a reflexão sobre os sistemas sanitários dos países que compõem o bloco, especialmente o SUS. Objetivos: Analisar os principais argumentos sobre o processo de integração do setor saúde apresentados no documento SIS MERCOSUL Uma Agenda para a Integração (2004). Metodologia: Pesquisa documental. Resultados: O processo de integração tem sido impulsionado basicamente por: 1) Fatores Exógenos, de natureza extra-setorial: o caráter de indutor desenvolvimentista do setor sanitário, cujo impacto sobre o potencial de desenvolvimento econômico e social da população é desproporcionalmente favorável quando comparado com os demais setores. Nesta perspectiva, a globalização traz benefícios derivados do aumento dos recursos financeiros para os pobres, o que repercute positivamente, ainda que de modo indireto, sobre as condições de vida e saúde da população; 2) Fatores Endógenos, de natureza intra-setorial: a necessidade de planejamento regional de ações de vigilância sanitária e epidemiológica; contra tragédias ambientais que não reconhecem barreiras geográficas; da atenção de média e alta complexidade que demandam escala para a oferta de serviços; e da organização conjunta da atenção à saúde não somente nas fronteiras, mas também entre os países. Por outro lado, as barreiras jurídico-institucionais e político-econômicas dificultam a viabilização de um projeto integrado entre os quatro países.Conclusões: As relações intersetoriais entre os países membros do bloco MERCOSUL têm ocorrido devido à necessidade de estabelecer políticas e intervenções regionais em diferentes áreas, como de serviços, indústria e agricultura. Tais iniciativas representam um dos pilares do crescimento econômico e do desenvolvimento científico e tecnológico regional e podem favorecer iniciativas que promovam a integração das ações em saúde, otimizando a infra-estrutura disponível e os serviços prestadosO setor saúde tem ocupado papel de destaque nos processos de integração regional do MERCOSUL, devido ao seu dinamismo e alto grau de inovação, destacando-se como gerador e disseminador de conhecimento e tecnologia, e consequentemente, causador de importantes impactos no desenvolvimento social. Justificativa: A análise do processo de integração do setor saúde no MERCOSUL pode colaborar para a reflexão sobre os sistemas sanitários dos países que compõem o bloco, especialmente o SUS. Objetivos: Analisar os principais argumentos sobre o processo de integração do setor saúde apresentados no documento SIS MERCOSUL Uma Agenda para a Integração (2004). Metodologia: Pesquisa documental. Resultados: O processo de integração tem sido impulsionado basicamente por: 1) Fatores Exógenos, de natureza extra-setorial: o caráter de indutor desenvolvimentista do setor sanitário, cujo impacto sobre o potencial de desenvolvimento econômico e social da população é desproporcionalmente favorável quando comparado com os demais setores. Nesta perspectiva, a globalização traz benefícios derivados do aumento dos recursos financeiros para os pobres, o que repercute positivamente, ainda que de modo indireto, sobre as condições de vida e saúde da população; 2) Fatores Endógenos, de natureza intra-setorial: a necessidade de planejamento regional de ações de vigilância sanitária e epidemiológica; contra tragédias ambientais que não reconhecem barreiras geográficas; da atenção de média e alta complexidade que demandam escala para a oferta de serviços; e da organização conjunta da atenção à saúde não somente nas fronteiras, mas também entre os países
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SACARDO, Daniele Pompei; TANAKA, Oswaldo Yoshimi; FORTES, Paulo Antonio de Carvalho. Integração dos sistemas de saúde dos países do mercosul: utopia ou possibilidade? [resumo]. Ciência & Saúde Coletiva[S.l: s.n.], 2006.
    • APA

      Sacardo, D. P., Tanaka, O. Y., & Fortes, P. A. de C. (2006). Integração dos sistemas de saúde dos países do mercosul: utopia ou possibilidade? [resumo]. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro.
    • NLM

      Sacardo DP, Tanaka OY, Fortes PA de C. Integração dos sistemas de saúde dos países do mercosul: utopia ou possibilidade? [resumo]. Ciência & Saúde Coletiva. 2006 ;( esp.):
    • Vancouver

      Sacardo DP, Tanaka OY, Fortes PA de C. Integração dos sistemas de saúde dos países do mercosul: utopia ou possibilidade? [resumo]. Ciência & Saúde Coletiva. 2006 ;( esp.):


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021