Exportar registro bibliográfico

Microemulsões como sistemas de liberação tópica para a veiculação do 5-ALA, H-ALA e do O-ALA para uso na terapia fotodinâmica do câncer de pele: obtenção, caracterização e estudos in vitro de permeação cutânea (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: CAMPOS, LUCIANA MATTOSO PIRES DE - FCFRP
  • Unidade: FCFRP
  • Sigla do Departamento: S/D
  • Subjects: NEOPLASIAS CUTÂNEAS; MEDICAMENTO TÓPICO; INTERAÇÃO DE MEDICAMENTOS
  • Language: Português
  • Abstract: Na Terapia Fotodinâmica (TFD), o ácido 5-aminolevulínico (5-ALA) é aplicado topicamente e convertido à protoporfirina IX (PpIX). A PpIX é um agente fotossensibilizante, o qual sob excitação com luz, pode induzir destruição tumoral. Devido as suas características hidrofílicas, o 5-ALA possui penetração limitada na pele. O objetivo deste trabalho foi obter e caracterizar microemulsões contendo 5-ALA e seus derivados ésteres hexil e octil a fim de melhorar a TFD tópica com estas substâncias. Cinco diagramas de fases pseudo-ternários foram construídos por titulação de uma série de misturas de oleato de etila, tensoativo/co-tensoativo ('Labrasol POT. ®'/'Plurol Oléico POT. ®' e 'Tween 80 POT. ®'/'Span 80 POT. ®') e água. Em todos os diagramas foi verificada a existência de sistemas isotrópicos e estáveis, translúcidos, com tamanho de gotículas da ordem de nm e comportamento pseudoplástico, os quais foram denominados microemulsões. Para as microemulsões compostas por 'Labrasol POT. ®' e 'Plurol Oléico POT. ®' foi possível identificar, pela análise de condutividade elétrica, os tipos de estruturas presentes nos diagramas. Confirmou-se a presença de microemulsões do tipo o/a, bicontínua e a/o. Nos estudos in vitro de liberação foi observado que o 5-ALA, hidrofílico, apresenta maior velocidade de difusão das microemulsões em relação à seus derivados mais lipofílicos (hexil e octil-ALA). Nos estudos de permeação cutânea in vitro notou-se que a microemulsão o/apermitiu maior permeação do 5-ALA comparado as demais formulações. Por outro lado, os ésteres do 5-ALA não conseguiram atravessar a pele de porco em quantidades detectáveis. Nos estudos in vivo do acúmulo de PpIX em pele de camundongo sem pêlo foi observado que a quantidade de PpIX induzida pelo 5-ALA liberado da microemulsão foi quase 3 vezes superior àquela induzida pelo fármaco incorporado em outras formulações encontradas na literatura. Além disso, a microemulsão aumentou a estabilidade do 5-ALA. Sendo assim, a microemulsão parece ser um sistema de liberação promissor para a administração do 5-ALA na TFD
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.11.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAMPOS, Luciana Mattoso Pires de; LOPEZ, Renata Fonseca Vianna. Microemulsões como sistemas de liberação tópica para a veiculação do 5-ALA, H-ALA e do O-ALA para uso na terapia fotodinâmica do câncer de pele: obtenção, caracterização e estudos in vitro de permeação cutânea. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Campos, L. M. P. de, & Lopez, R. F. V. (2006). Microemulsões como sistemas de liberação tópica para a veiculação do 5-ALA, H-ALA e do O-ALA para uso na terapia fotodinâmica do câncer de pele: obtenção, caracterização e estudos in vitro de permeação cutânea. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Campos LMP de, Lopez RFV. Microemulsões como sistemas de liberação tópica para a veiculação do 5-ALA, H-ALA e do O-ALA para uso na terapia fotodinâmica do câncer de pele: obtenção, caracterização e estudos in vitro de permeação cutânea. 2006 ;
    • Vancouver

      Campos LMP de, Lopez RFV. Microemulsões como sistemas de liberação tópica para a veiculação do 5-ALA, H-ALA e do O-ALA para uso na terapia fotodinâmica do câncer de pele: obtenção, caracterização e estudos in vitro de permeação cutânea. 2006 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021