Exportar registro bibliográfico

A língua materna na primeira série do ensino fundamental: as narrativas como uma fonte da imaginação criadora (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: CHAGAS, LILANE MARIA DE MOURA - FE
  • Unidade: FE
  • Sigla do Departamento: EDM
  • Subjects: LINGUAGEM ORAL (ESTUDO E ENSINO); LINGUAGEM ESCRITA (ESTUDO E ENSINO); ENSINO FUNDAMENTAL; LÍNGUA (ESTUDO E ENSINO); ENSINO E APRENDIZAGEM
  • Language: Português
  • Abstract: Esta é uma pesquisa empírica que se circunscreve na área da educação escolar e teve como foco as atividades de ensino da língua materna. Seu objetivo foi o de compreender como as narrativas canônicas e não-canônicas - orais e escritas - se manifestaram nas atividades de ensino da língua materna na primeira série do Ensino Fundamental. No contexto dessas delimitações, defendemos a tese de que essas narrativas são relevantes e fundamentais nas atividades de ensino da língua materna, mas as narrativas não canônicas ou literárias potencializam aspectos e saltos qualitativos que permitem ir além do plano da cotidianidade, ampliando e estendendo as diversas possibilidades do uso da palavra e o desenvolvimento da capacidade criadora (imaginação e fantasia), entre outras questões. Assim, consideramos as narrativas (canônicas e não-canônicas) como mediadoras de finalidades muito mais amplas, quer dizer, elas não são fins em si mesmas e, por conseqüência, não são categorias isoladas, senão que compõem o campo das mediações que define diversas áreas do conhecimento.A perspectiva histórica foi a opção teórico-metodológica desta pesquisa, que considera as relações sociais como complexas e contraditórias. Essa concepção constitui-se como uma mediação no processo de apreender e desvelar os fenômenos. A particularidade do objeto de estudo, seus campos de mediações, em que a dinâmica e a complicada articulação entre a teoria e a empiria significou ter sempre presenteque o objeto em questão está inserido em uma totalidade social. O recorte da tese foram as atividades de ensino da língua materna que priorizaram as narrativas, singularidade que encontra o seu sentido em uma concepção de linguagem e de atividade humana, com base nas referências teóricas fornecidas pela perspectiva histórico-cultural, especificamente os aportes de Vygotski e Leóntiev. ) A pesquisa utilizou instrumentos como: a observação, os registros e as entrevistas. O resultado foi o de que as narrativas canônicas e não-canônicas estavam presentes nas atividades de ensino, mas que, em alguns momentos e ações, havia uma subsunção da narrativa não canônica à didática, quando as narrativas literárias eram usadas como recursos para o ensino da língua. Essa questão tencionou a linha tênue entre a necessidade de ensinar a ler e a escrever, os processos de aprendizagem (campo da didática) e o uso da narrativa não canônica sem que se perdessem os elementos potencializadores nela contido
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.08.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CHAGAS, Lilane Maria de Moura; JOVANOVIC, Aleksandar. A língua materna na primeira série do ensino fundamental: as narrativas como uma fonte da imaginação criadora. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Chagas, L. M. de M., & Jovanovic, A. (2006). A língua materna na primeira série do ensino fundamental: as narrativas como uma fonte da imaginação criadora. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Chagas LM de M, Jovanovic A. A língua materna na primeira série do ensino fundamental: as narrativas como uma fonte da imaginação criadora. 2006 ;
    • Vancouver

      Chagas LM de M, Jovanovic A. A língua materna na primeira série do ensino fundamental: as narrativas como uma fonte da imaginação criadora. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021