Exportar registro bibliográfico

Campo, parque, jardim: transformações do espaço público urbano - a Praça Visconde de Mauá em Santos 1740-1940 (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: MARQUES JUNIOR, ARNALDO FERREIRA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLH
  • Subjects: ESPAÇO PÚBLICO (HISTÓRIA;PLANEJAMENTO); PRAÇAS; PLANEJAMENTO TERRITORIAL URBANO
  • Language: Português
  • Abstract: Esta dissertação tem como objetivo contribuir para o entendimento do processo de transformação por que passou a cidade brasileira nos sessenta anos que vão de 1870 a 1930 - período que podemos denominar como de "ruptura" em relação à cidade tradicional. Procurando flagrar esse processo de "ruptura" em suas manifestações concretas, foi construída uma descrição densa dos eventos que envolvem uma praça situada na cidade paulista de Santos, denominada hoje Praça Visconde de Mauá. Ao longo de cem anos, partindo de um quadro inicial ligado à cidade "tradicional", foram identificadas quatro grandes reformas nessa praça, cada uma correspondendo a mudanças de função e significado do espaço público como um todo. Originada no século XVIII como Campo da Misericórdia, até aproximadamente 1870 esse espaço árido e sem calçamento ligava-se ao período colonial, funcionando como local de passagem e principalmente de trabalho árduo dos escravos, território hostil evitado pelas elites. É o ponto de partida da análise. Entre 1870 e 1890, em meio aos melhoramentos que chegavam à cidade - água domiciliar, gás, bondes etc. - , foi instalado no então Largo da Coroação um parque romântico com lago, cascata e gradil, um espaço elegante e fechado, endógeno, excludente; que marcava os limites da "modernidade" ao ar livre possível em uma sociedade escravista. Com a extinção da escravidão e a mudança de regime político, os quais vieram acompanhados da explosão demográfica e de surtosepidêmicos, eclodiu uma época de instabilidade que se refletiu no espaço urbano: em 1898 o parque foi destruído, e em seu lugar implantado um mercado de verduras. No início do século XX estabilizou-se o projeto republicano, o qual, entre outras coisas, mostrava-se preocupado em eliminar os vestígios da cidade escravista, criando em seu lugar uma cidade onde os espaços públicos reformados funcionariam como locus de sociabilidade dos cidadãos "modernos". Em 1910, a denominada Praça Mauá, livre do mercado, ganhou um jardim florido, aberto, o qual ornava com os palacetes que eram construídos no seu entorno, funcionando como local de lazer urbano aos moradores das redondezas. Por fim, com a especialização funcional dos bairros santistas e a conseqüente constituição de um Centro exclusivamente comercial e administrativo, a Praça Visconde de Mauá tornou-se, a partir de 1939, um espaço cívico, de aspecto 'lenotreano', servindo de moldura ao palácio da Prefeitura Municipal ali construído. Estava completa a "ruptura"
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.09.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARQUES JÚNIOR, Arnaldo Ferreira; GLEZER, Raquel. Campo, parque, jardim: transformações do espaço público urbano - a Praça Visconde de Mauá em Santos 1740-1940. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Marques Júnior, A. F., & Glezer, R. (2006). Campo, parque, jardim: transformações do espaço público urbano - a Praça Visconde de Mauá em Santos 1740-1940. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Marques Júnior AF, Glezer R. Campo, parque, jardim: transformações do espaço público urbano - a Praça Visconde de Mauá em Santos 1740-1940. 2006 ;
    • Vancouver

      Marques Júnior AF, Glezer R. Campo, parque, jardim: transformações do espaço público urbano - a Praça Visconde de Mauá em Santos 1740-1940. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021