Exportar registro bibliográfico

Contingência e contigüidade no responder de ratos submetidos a esquemas de razão e intervalo variáveis (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: FONSECA, CRISTINA MOREIRA - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: ESQUEMAS DE REFORÇO; ATRASO DE REFORÇAMENTO; RATOS; TABELAS DE CONTINGÊNCIA
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo é formado por dois experimentos (Experimento 1 e Experimento 2) que empregaram procedimento de atraso de reforço não sinalizado non-resetting [esquema tandem em que o segundo componente ocorre em tempo fixo (FT)]. Os experimentos tiveram como objetivo geral manipular experimentalmente relações de contingência e ontigüidade utilizando diferentes esquemas de reforço (esquema dependente de resposta, esquema dependente da resposta com liberação atrasada do reforço e esquema independente de resposta). Mais especificamente, os experimentos tiveram como objetivo verificar os efeitos produzidos pela introdução do atraso do reforço sobre a taxa e a distribuição de freqüência no tempo das respostas de pressão à barra, emitidas por ratos submetidos a esquemas de intervalo variável (VI) e razão variável (VR). No Experimento 1, os efeitos da introdução do atraso de 5 s foram comparados à liberação de água independente da resposta (VT). Os resultados do Experimento 1 mostraram que, em linha de base (presença de contingência e contigüidade), o esquema VR gerou, relativamente ao VI, taxas de respostas mais elevadas. Com a introdução do atraso de reforço (presença de contingência e contigüidade reduzida) houve diminuição nas taxas de respostas dos sujeitos de ambos os grupos em relação à linha de base, com diminuição maior nas taxas de respostas dos sujeitos do Grupo VI. Na vigência do VT (ausência de contingência, mas não de contigüidade), esta diminuiçãofoi mais acentuada. Os efeitos diferenciados do atraso nos esquemas VI e VR foram detalhados por meio da distribuição de freqüência de respostas no tempo, de modo a se identificarem os valores de atraso que efetivamente ocorreram (isto é, o intervalo entre a liberação do reforço e a última resposta anteriormente emitida). Para os sujeitos do Grupo VI, os valores de atrasos registrados se concentraram geralmente em ) valores próximos ao atraso programado de 5 s enquanto que, para os sujeitos do Grupo VR, os intervalos efetivamente registrados assumiram valores menores. Uma explicação para esses resultados deve-se às próprias características dos esquemas. Enquanto o esquema de intervalo reforça intervalos entre respostas longos, o esquema de razão reforça intervalos entre respostas curtos. Deste modo, a probabilidade dos atrasos registrados se concentrarem no valor do atraso programado é maior no VI do que no VR. No Experimento 2, foi verificado o efeito da introdução de diferentes valores de atraso - 2, 5 e 8 s - sobre a taxa e a distribuição de freqüência de respostas, submetendo-se ratos ingênuos aos esquemas de VI e VR, com e sem atraso de reforço. Os resultados do Experimento 2 mostraram que, com a introdução dos diferentes valores de atraso de reforço (presença de contingência e contigüidade parametricamente manipulada), houve diminuições nas taxas de respostas dos sujeitos de ambos os grupos. Para os sujeitos do Grupo VI houve uma correlação negativa entreos valores de atrasos e as taxas de respostas. A análise por meio da distribuição de freqüência dos valores de atrasos mostrou que para os sujeitos de ambos os grupos - VI e VR, os valores de atrasos registrados foram, em geral, distribuídos entre os diferentes valores. Resultados diferentes, porém, foram observados em dois sujeitos cujos valores de atrasos se concentraram nos valores de atrasos programados. No conjunto, os resultados de ambos os experimentos mostram que a análise por meio da distribuição de freqüência de atrasos de reforço permitiu que fossem verificados os efeitos diferentes do atraso nos esquemas VI e VR. Efeitos que não puderam ser observados quando a análise dos dados limitou-se à taxa de resposta, medida esta mais freqüentemente usada na investigação de relações de contingência e contigüidade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.05.2006
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FONSECA, Cristina Moreira; TOMANARI, Gerson Yukio. Contingência e contigüidade no responder de ratos submetidos a esquemas de razão e intervalo variáveis. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47132/tde-25092006-005520/ >.
    • APA

      Fonseca, C. M., & Tomanari, G. Y. (2006). Contingência e contigüidade no responder de ratos submetidos a esquemas de razão e intervalo variáveis. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47132/tde-25092006-005520/
    • NLM

      Fonseca CM, Tomanari GY. Contingência e contigüidade no responder de ratos submetidos a esquemas de razão e intervalo variáveis [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47132/tde-25092006-005520/
    • Vancouver

      Fonseca CM, Tomanari GY. Contingência e contigüidade no responder de ratos submetidos a esquemas de razão e intervalo variáveis [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47132/tde-25092006-005520/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021