Exportar registro bibliográfico

Efeito do estresse agudo pelo frio na fagocitose imunológica desempenhada por leucócitos polimorfonucleares (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MARCHI, LARISSA FÁVARO - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: IMUNOLOGIA; BIOQUÍMICA CELULAR
  • Language: Português
  • Abstract: Quando a homeostase do organismo é ameaçada, uma condição conhecida como estresse, ocorre a ativação do eixo Hipotálamo-Pituitária-Adrenal (HPA) que resulta na secreção de corticosterona (camundongos) e de cortisol (humanos) e a ativação do sistema nervoso simpático o qual leva à liberação de catecolaminas. Muitos trabalhos mostram uma íntima relação entre o estresse e a ocorrência de variações na função imune tanto em modelos animais quanto em humanos. Quanto à fagocitose, ainda há dúvidas sobre qual seria o efeito do estresse, pois alguns autores relatam diminuição e outros aumentam na capacidade fagocítica após o estresse. Neste estudo, nós investigamos, em camundongos, o efeito do estresse induzido pelo frio sobre a capacidade fagocítica de neutrófilos sanguíneos. Através de experimentos in vitro, nós também estudamos a ação da corticosterona e das catecolaminas na fagocitose mediada por diferentes receptores. Nesses ensaios, nós encontramos que neutrófilos de camundongos submetidos a 4 horas de estresse pelo frio, a 4°C, mostraram uma diminuição na capacidade fagocítica mediada por receptores Fc'gama' e complemento (CR) comparados com células dos camundongos controles. Em experimentos in vitro, mostramos que os hormônios do estresse, corticosterona e catecolaninas, foram capazes de reduzir a fagocitose de neutrófilos. Experimentos com bloqueador do receptor de glicocorticóides (RU 486) mostraram que os efeitos desencadeados após o estresse e após otratamento com corticosterona não foram revertidos. Nós encontramos que os efeitos observados com a corticosterona poderiam ser possivelmente atribuídos a uma ação não genômica deste hormônio, já que ele não é bloqueado por inibidores de transcrição e da tradução, actinomicina D e cicloheximida, respectivamente. Estes resultados representam possivelmente um importante fator de modulação dos processos fagocíticos com implicações nos mecanismos de defesa e talvez em outros processos fisiológicos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.07.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARCHI, Larissa Fávaro; MANTOVANI, Bernardo. Efeito do estresse agudo pelo frio na fagocitose imunológica desempenhada por leucócitos polimorfonucleares. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Marchi, L. F., & Mantovani, B. (2006). Efeito do estresse agudo pelo frio na fagocitose imunológica desempenhada por leucócitos polimorfonucleares. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Marchi LF, Mantovani B. Efeito do estresse agudo pelo frio na fagocitose imunológica desempenhada por leucócitos polimorfonucleares. 2006 ;
    • Vancouver

      Marchi LF, Mantovani B. Efeito do estresse agudo pelo frio na fagocitose imunológica desempenhada por leucócitos polimorfonucleares. 2006 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020