Exportar registro bibliográfico

Papel das mutações no gene HFE na resposta ao tratamento anti-viral, nos depósitos de ferro no fígado e na gravidade da lesão hepática em pacientes com Hepatite C crônica (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: CARNEIRO, MARCOS DE VASCONCELOS - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: HEPATITE C (TRATAMENTO;RESULTADOS); HEPATOPATIAS
  • Language: Português
  • Abstract: A infecção crônica pelo HCV é um importante problema de saúde pública, e uma das principais causas de hepatopatia crônica. O tratamento anti-viral padrão da hepatite C crônica consiste na combinação de interferon combinado à ribavirina. Alguns fatores foram identificados como preditores de resposta virológica sustentada como genótipo não 1 e carga viral baixa do HCV, sexo feminino, idade '< OU =' 40 anos, e ausência de fibrose hepática avançada. A infecção crônica pelo HCV é freqüentemente associada com sobrecarga de ferro no organismo. A relação dos depósitos de ferro no fígado com a presença de mutações no gene HFE é debatida. O papel da mutação no gene HFE nos depósitos de ferro, grau de lesão hepática e resposta ao tratamento anti-viral ainda é controverso. Os objetivos deste estudo foram avaliar, em pacientes com infecção crônica pelo HCV, o papel das mutações no gene HFE (C282Y e H63D) na resposta ao tratamento anti-viral, nos depósitos de ferro no fígado e sua distribuição intra-hepática, e no grau de lesão hepática (fibrose e atividade inflamatória). Foram estudados 264 pacientes com infecção crônica pelo HCV tratados com interferon e ribavirina, divididos em dois grupos segundo o tipo de resposta viro lógica: RVS (resposta virológica sustentada) e NR (sem resposta ou recaída). Avaliou-se a relação entre tipo de resposta ao tratamento e parâmetros clínicos, bioquímicos (GGT, AST, ALT, ferro, saturação de transferrina, e ferritina), histológicos(fibrose e atividade inflamatória, depósitos de ferro), virológicos do HCV (genótipo e carga viral) e mutações no gene HFE (H63D e C282Y). Dos 264 pacientes, 88 (32,1%) apresentaram RVS. A análise bivariada identificou como fatores relacionados a RVS o genótipo do HCV, GGT, ferritina, saturação de transferrina, qualquer mutação no gene HFE e mutação no gene H63D. Na análise multivariada, os fatores identificados associados a RVS foram genótipo 2 ou 3 do HCV (P<0,0001), saturação de transferrina '< OU =' 45% (P=0,04) e a presença de mutação no gene H63D (P=0,02). Não houve diferença entre NR e RVS com relação a lesão hepática e detecção de ferro no fígado. Depósitos de ferro hepático foram observados em 49,2% dos pacientes, sem relação com gravidade da lesão hepática (fibrose e atividade necro-inflamatória), porém a esteatose hepática foi mais freqüente naqueles com siderose hepática do que naqueles sem siderose (60,2% vs 46,8%, P=0,03). A mutação no gene HFE foi mais freqüente nos com siderose do que naqueles sem (63,4% vs 42,4%, P=0,004), particularmente nos hepatócitos e sinusóides. Pacientes com siderose apresentavam maior freqüência de ferritina acima do LSN (50% vs 16,6%, P<0,0001). Não houve associação entre parâmetros bioquímicos de ferro e mutação no gene HFE. Conclui-se que em pacientes com infecção crônica pelo HCV genótipo 2 ou 3 do HCV, ST '< OU =' 45% e presença da mutação H63D, foram fatores preditivos de RVS à terapiaanti-viral. Depósitos de ferro no fígado foram freqüentes havendo associação desses com a presença de mutação no gene HFE, saturação de transferrina elevada, níveis aumentados de ferritina e esteatose. A presença da mutação no gene HFE não foi associada com maior gravidade da doença hepática
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.06.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARNEIRO, Marcos de Vanconcelos; MARTINELLI, Ana de Lourdes Candolo. Papel das mutações no gene HFE na resposta ao tratamento anti-viral, nos depósitos de ferro no fígado e na gravidade da lesão hepática em pacientes com Hepatite C crônica. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Carneiro, M. de V., & Martinelli, A. de L. C. (2006). Papel das mutações no gene HFE na resposta ao tratamento anti-viral, nos depósitos de ferro no fígado e na gravidade da lesão hepática em pacientes com Hepatite C crônica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Carneiro M de V, Martinelli A de LC. Papel das mutações no gene HFE na resposta ao tratamento anti-viral, nos depósitos de ferro no fígado e na gravidade da lesão hepática em pacientes com Hepatite C crônica. 2006 ;
    • Vancouver

      Carneiro M de V, Martinelli A de LC. Papel das mutações no gene HFE na resposta ao tratamento anti-viral, nos depósitos de ferro no fígado e na gravidade da lesão hepática em pacientes com Hepatite C crônica. 2006 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021