Exportar registro bibliográfico

Avaliação da participação dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na composição da lordose lombar (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: DAMASCENO, LUIZ HENRIQUE FONSECA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: COLUNA VERTEBRAL; PROCEDIMENTOS ORTOPÉDICOS
  • Language: Português
  • Abstract: Foi avaliada a participação dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na lordose lombar e, a contribuição destes nas curvaturas lombares de diferentes magnitudes. Foram avaliadas as radiografias lombares em perfil de 350 adultos assintomáticos (143 homens e 207 mulheres, idade média 29 anos). Foram mensuradas a curvatura lombossacra (L1S1), a curvatura lombo lombar (L1L5), a angulação de cada corpo vertebral e cada disco intervertebral por meio de uma variação do método de Cobb. A participação percentual dos corpos vertebrais e dos discos intervertebrais na curvatura lombossacra também foi determinada. Comparações entre os sexos e as faixas etárias foram realizadas. Os indivíduos foram divididos em três subgrupos populacionais, de acordo com a magnitude da lordose lombossacra, de modo a separar os indivíduos pertencentes aos extremos da curva de distribuição. Os componentes da curvatura lombar (corpos vertebrais e discos intervertebrais) foram comparados nestes três subgrupos. A medida da curvatura lombossacra no grupo inicial foi -60,9º (-33º a -89º). Os corpos vertebrais eram cifóticos em L1 (2,15º), tendiam ao neutro em L2 (-0,36º) e eram progressivamente lordóticos de L3 (-1,56º) a L5 (-9,23º). Os discos intervertebrais eram progressivamente lordóticos (variando de -4,99º em L1-L2 a -15,58º em L5-S1). Os corpos vertebrais e discos intervertebrais apresentaram participação progressivamente maior no sentido crânio-caudal. Os discosintervertebrais participaram com cerca de 80% da curvatura lombossacra, sendo que os elementos mais caudais (corpos vertebrais L4 e L5 e discos intervertebrais L4-L5 e L5-S1) corresponderam a mais de 65% da curvatura lombossacra. Os indivíduos mais idosos apresentaram medidas das curvaturas lombares maiores cerca de 4º em comparação aos indivíduos mais jovens, havendo diferença significante para as medidas dos corpos vertebrais L2 e L5 e o disco intervertebral L3-L4, sendo ) maiores as medidas nos indivíduos mais idosos. As medidas das curvaturas lombares e dos corpos vertebrais L2 e L4 apresentaram diferença estatisticamente significante entre os sexos, sendo as medidas maiores nos indivíduos do sexo feminino. A curvatura lombossacra apresentou média de -46,9º no subgrupo lordose menor; -61,59º no subgrupo lordose intermediária e; -74,13º no subgrupo lordose maior. A curvatura lombo lombar apresentou média de -33,28º no subgrupo lordose menor; -45,34º no subgrupo lordose intermediária e; -56,96º no subgrupo lordose maior. Os corpos vertebrais e os discos intervertebrais apresentaram medidas absolutas menores no subgrupo lordose menor do que as dos subgrupos lordose intermediária e lordose maior, mas a participação dos discos intervertebrais na curvatura lombossacra no subgrupo lordose menor (88%) foi maior que nos subgrupos lordose intermediária (81%) e no subgrupo lordose maior. (75%). Complementarmente, os corpos intervertebrais apresentarammaior participação nos subgrupos lordose maior e lordose intermediária. Individualmente, os corpos vertebrais apresentaram maior participação no subgrupo lordose maior, exceto pelo corpo vertebral L5 que apresentou maior participação no subgrupo lordose menor. A maior participação percentual dos discos intervertebrais no subgrupo lordose menor era devida à inclinação cifótica dos corpos vertebrais mais cefálicos (especialmente L1 e L2) no subgrupo lordose menor do que nos demais subgrupos, que, por um efeito compensatório, causava uma maior participação discal nas curvaturas menores. Os demais subgrupos apresentavam os corpos vertebrais cefálicos com inclinação muito mais lordótica do que o observado no subgrupo lordose menor. Concluímos que os discos intervertebrais são os principais responsáveis pela curvatura lombar e que a contribuição dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na lordose lombar difere entre ) indivíduos com curvaturas de diferentes magnitudes. Apesar de ocorrer um aumento gradual do acunhamento lordótico do corpo e disco a cada nível vertebral conforme aumenta a medida da lordose, as vértebras mais cefálicas provocam uma diferença na contribuição percentual entre discos intervertebrais e corpos vertebrais nas curvaturas de tamanhos diferentes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.03.2006
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DAMASCENO, Luiz Henrique Fonseca; DEFINO, Helton Luiz Aparecido. Avaliação da participação dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na composição da lordose lombar. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-16032007-190229/ >.
    • APA

      Damasceno, L. H. F., & Defino, H. L. A. (2006). Avaliação da participação dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na composição da lordose lombar. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-16032007-190229/
    • NLM

      Damasceno LHF, Defino HLA. Avaliação da participação dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na composição da lordose lombar [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-16032007-190229/
    • Vancouver

      Damasceno LHF, Defino HLA. Avaliação da participação dos corpos vertebrais e discos intervertebrais na composição da lordose lombar [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-16032007-190229/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021