Exportar registro bibliográfico

A indisciplina - do silêncio à palavra: o esfacelamento do discurso docente? (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LOPES, JOSÉ PASSOS - FE
  • Unidades: FE
  • Subjects: DISCIPLINA NA SALA DE AULA; AUTORIDADE (EDUCAÇÃO); COMPORTAMENTO NA SALA DE AULA; INTERAÇÃO PROFESSOR ALUNO
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo partiu de uma pesquisa quantitativa: a fala dos professores descrita nos Livros de Ocorrências de uma escola estadual. A partir de uma escuta psicanaliticamente orientada, busca analisar essa fala. A maioria das ocorrências apontou que o professor sente sua fala cassada em sala de aula. Cassada, no sentido de que paralisa seu ato pedagógico. O discurso manifesto do professor aponta o comportamento discente como um ato de indisciplina. Ao silêncio absoluto do passado contrapõe-se, no presente, a palavra do alunado. O discurso docente sente essa palavra como desrespeito à sua autoridade. A partir do pensamento de Arendt, busca-se efetuar análise extensiva da questão da autoridade docente. O professor parece sentir sua autoridade esfacelada. Este estudo procura refletir sobre esse esfacelamento. A sociedade pai-orientada do passado, verticalizada, foi subvertida por uma nova ordem, horizontal, causadora de um mal-estar docente: isso é denominado o) esfacelamento do discurso do mestre antigo. A palavra discente parece ter despertado de seu sono latente e emergido das memórias subterrâneas, o que sugere ser o retorno da palavra reprimida. Busca-se analisar por que o professor fala e o aluno conversa. Entender o estatuto das palavras docente e discente e o culto do silêncio em sala de aula. A fala do aluno sugere ser produto de um saber inconsciente, apontando, segundo a hipótese deste trabalho, para o discurso histérico. O aluno, agentedesse discurso, questionaria a mestria docente, fazendo com que os professores sintam seu discurso esfacelado. O que se esfacelou? Para este estudo, não foi a autoridade docente, mas seu autoritarismo. Afinal, a sociedade hipermoderna, pós-deveres, não aceita a imposição de deveres sacrificais: procura os direitos, o direito à felicidade. A invenção do futuro parece ser a resposta para o mal-estar docente. A criação de um gesto que vá além da palavra e busque criar um novo laço social entre professores e alunos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.03.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LOPES, José Passos; MRECH, Leny Magalhães. A indisciplina - do silêncio à palavra: o esfacelamento do discurso docente?. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Lopes, J. P., & Mrech, L. M. (2006). A indisciplina - do silêncio à palavra: o esfacelamento do discurso docente?. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Lopes JP, Mrech LM. A indisciplina - do silêncio à palavra: o esfacelamento do discurso docente? 2006 ;
    • Vancouver

      Lopes JP, Mrech LM. A indisciplina - do silêncio à palavra: o esfacelamento do discurso docente? 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020