Exportar registro bibliográfico

Estudo Etnofarmacognóstico de espécies medicinais da família Asteraceae empregadas pela comunidade da Área de Proteção Especial de Paracatu-MG (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: CASTELUCCI, SIMONE - FCFRP
  • Unidade: FCFRP
  • Sigla do Departamento: 602
  • Subjects: PRODUTOS NATURAIS (QUÍMICA); FARMACOGNOSIA
  • Language: Português
  • Abstract: Numerosas plantas têm sido usadas como recursos terapêuticos por comunidades tradicionais que buscam, com resultados positivos, a cura para diferentes males e sintomas. A Área de Proteção Especial (APE), em Paracatu, MG, possui, ainda hoje, famílias que fazem uso deste recurso terapêutico. O objetivo do presente trabalho foi obter informações, com ferramentas da etnobotânica, sobre plantas utilizadas como antiinflamatória e antiofídica, com ênfase em espécies da família Asteraceae. A partir destas informações, confirmar a eficácia destas espécies através de ensaios biológicos realizados com seus extratos brutos. Utilizando-se de algumas ferramentas da etnobotânica, foram feitas entrevistas com residentes dentro da APE de Paracatu. Obteve-se dados sócio-econômicos e do nome de espécies empregadas para fins medicinais. Tais espécies compuseram uma lista que foi encaminhada para os mateiros que realizaram as coletas para confecção de exsicatas e identificação taxonômica. Algumas espécies identificadas fazem parte da família Asteraceae. Destas, três foram selecionadas para estudos farmacognósticos e farmacológicos: Dasyphyllum brasiliensis(Spreng.) Cabrera (espinho-agulha), Eremanthus mollis Sch. Bip. (orelha-de-carneiro) e Elephantopus mollis HBK (fumo-bravo). O fracionamento do extrato aquoso foi monitorado com os ensaios biológicos edema de pata de ratos e peritonite aguda em ratos. Os resultados confirmaram atividade para a espécie D.brasiliensis. Realizou-se partições com solventes e análises cromatográficas em coluna Sep-Pack de fase reversa a fração aquosa confirmou as atividades antiinflamatória e anti-edematogênica. A detecção das classes de substâncias majoritárias do extrato bruto e frações de D. brasilienses foi feita com reações de caracterização por formação cor, precipitação e cromatografia em camada delgada e em papel. Os resultados obtidos continuaram a presença de taninos, mais especificamente ) os elagitaninos. O presente trabalho confirmou o uso popular da comunidade para problemas bucais. A espécie D. brasiliensis possui como componente principal da sua fração ativa substâncias da classe dos elagitaninos, semelhantes a outras espécies como Potentilla erecta (L) Rauschel, família Rosaceae, que também possui elagitaninos e cujos estudos comprovaram seu uso para problemas orofaríngeos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.03.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASTELUCCI, Simone; COSTA, Fernando Batista da. Estudo Etnofarmacognóstico de espécies medicinais da família Asteraceae empregadas pela comunidade da Área de Proteção Especial de Paracatu-MG. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Castelucci, S., & Costa, F. B. da. (2006). Estudo Etnofarmacognóstico de espécies medicinais da família Asteraceae empregadas pela comunidade da Área de Proteção Especial de Paracatu-MG. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Castelucci S, Costa FB da. Estudo Etnofarmacognóstico de espécies medicinais da família Asteraceae empregadas pela comunidade da Área de Proteção Especial de Paracatu-MG. 2006 ;
    • Vancouver

      Castelucci S, Costa FB da. Estudo Etnofarmacognóstico de espécies medicinais da família Asteraceae empregadas pela comunidade da Área de Proteção Especial de Paracatu-MG. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021