Exportar registro bibliográfico

A igreja como refúgio e a bíblia como esconderijo?: conversão religiosa, ambigüidade e tensão entre presos evangélicos e massa carcerária (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: DIAS, CAMILA CALDEIRA NUNES - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FSL
  • Subjects: POPULAÇÃO CARCERÁRIA (SOCIOLOGIA;ASPECTOS RELIGIOSOS); CONVERSÃO RELIGIOSA; PRISÃO
  • Language: Português
  • Abstract: A partir do referencial teórico do interacionismo simbólico, procuramos compreender qual é o lugar, o papel e a posição dos presos evangélicos dentro da prisão e como são estabelecidas as relações entre presos religiosos e a massa carcerária. Num primeiro momento o foco da análise se deu nos discursos e nas relações exclusivas do grupo religioso e, neste sentido, alguns elementos emergem como fundamentais no processo de construção de uma identidade baseada nos preceitos religiosos: a valorização da família, do trabalho e da educação; a reinterpretação biográfica em termos do novo universo discursivo propiciado pela doutrina religiosa; a participação em atividades religiosas durante todo o tempo disponível na prisão e por último, o afastamento de todas atividades e das pessoas que se encontram fora do círculo religioso. Num segundo momento, a análise foi ampliada para fora do âmbito restrito do grupo religioso, focalizando as relações sociais estabelecidas entre presos evangélicos e massa carcerária. Emergem, a partir desta análise, as ambigüidades, as tensões e os conflitos entre estes dois grupos que conferem outros significados para a prática religiosa, não revelados à primeira vista, traduzidos na expressão "esconder-se atrás da Bíblia". Estes significados são produzidos pelo contexto social da prisão, marcado por um padrão autoritário de relações sociais, no qual imperam a desconfiança, a ameaça e a violência como formas de resolução de conflitos.Neste sentido, o grupo evangélico, longe de se constituir como grupo a parte deste cotidiano tenso e violento da prisão é, ao contrário, parte importante e necessária para o funcionamento do sistema de ação da sociedade dos cativos, uma vez que abriga ) aqueles que, uma vez tendo infringido algumas das inumeráveis normas de conduta vigentes neste mundo social, perde os atributos que definem a sua identidade de malandro, fica impossibilitado de conviver entre a massa carcerária e tem na conversão religiosa uma opção de sobrevivência física, ainda que esta signifique um elemento a mais nos processos de destruição da identidade, característicos das instituições totais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.12.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DIAS, Camila Caldeira Nunes; NEGRÃO, Lísias Nogueira. A igreja como refúgio e a bíblia como esconderijo?: conversão religiosa, ambigüidade e tensão entre presos evangélicos e massa carcerária. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
    • APA

      Dias, C. C. N., & Negrão, L. N. (2005). A igreja como refúgio e a bíblia como esconderijo?: conversão religiosa, ambigüidade e tensão entre presos evangélicos e massa carcerária. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Dias CCN, Negrão LN. A igreja como refúgio e a bíblia como esconderijo?: conversão religiosa, ambigüidade e tensão entre presos evangélicos e massa carcerária. 2005 ;
    • Vancouver

      Dias CCN, Negrão LN. A igreja como refúgio e a bíblia como esconderijo?: conversão religiosa, ambigüidade e tensão entre presos evangélicos e massa carcerária. 2005 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021