Exportar registro bibliográfico

Valores de referência de porfirinas urinárias por CLAE numa população não-exposta a agentes químicos porfirinogênicos (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: ALVES, ATECLA NUNCIATA LOPES - FCF
  • Unidade: FCF
  • Sigla do Departamento: FBC
  • Subjects: TOXICOLOGIA OCUPACIONAL (ANÁLISE); CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA (MÉTODOS); ENZIMAS (ANÁLISE;URINA); TOXICOLOGIA CLÍNICA
  • Language: Português
  • Abstract: Perfil de referência de porfirinas urinárias por CLAE numa população nãoexposta a agentes químicos porfirinogênicos. Porfirinas são produtos formados como intermediários na biossíntese do heme, variando de 8 a 4 grupos carboxilas: uro, hepta, hexa, penta e coproporfirinas. Alterações no perfil de porfirinas urinárias podem ser originados por uma causa hereditária ou por exposição ambiental/ocupacional. Este trabalho teve como objetivo estabelecer um método de cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) com detecção por fluorescência, sensível o suficiente para estimar valores de referência das frações de porfirinas urinái-ias, denominadas de perfil, para uma população da cidade de São Paulo, Brasil.fA urina, amostra isolada, foi coletada de 126 indivíduos (18-65 anos) de ambos os sexos e não expostos ocupacionalmente a agentes porfirinogênicos tais como organoclorados, As, Hg e Pb. Os resultados obtidos apresentaram distribuição não-paramétrica e os valores de referência em "MICROGRAMAS/g of creatinina, média:!: dp e percentil 2,5 97,5 "POR CENTO" foram: para a fração uro: 5,3 "MAIS OU MENOS" 6,0 e O - 20,8; para copro: 42,8 "MAIS OU MENOS" 26,4 e 7,4-133,6 e para porfirinas totais: 48,1 "MAIS OU MENOS" 27,7 e 7,4-159,4 respectivamente. As frações hepta, hexa e penta não foram quantificadas. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes para os grupos de sexo e idade. O grupo de fumantes apresentou níveis mais baixos de copro e porfirinas totais(mediana 37,19 e 43,48) comparado com o grupo de nãofumantes (mediana 22,49 e 27,18). O método proposto, permite detectar discretas alterações na excreção de porfirinas e os limites de referência estimados têm potencial a serem utilizados como biomarcadores na exposição a agentes porfirinogênicos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.08.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALVES, Atecla Nunciata Lopes; DELLA ROSA, Henrique Vicente. Valores de referência de porfirinas urinárias por CLAE numa população não-exposta a agentes químicos porfirinogênicos. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-05122008-145203/ >.
    • APA

      Alves, A. N. L., & Della Rosa, H. V. (2005). Valores de referência de porfirinas urinárias por CLAE numa população não-exposta a agentes químicos porfirinogênicos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-05122008-145203/
    • NLM

      Alves ANL, Della Rosa HV. Valores de referência de porfirinas urinárias por CLAE numa população não-exposta a agentes químicos porfirinogênicos [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-05122008-145203/
    • Vancouver

      Alves ANL, Della Rosa HV. Valores de referência de porfirinas urinárias por CLAE numa população não-exposta a agentes químicos porfirinogênicos [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-05122008-145203/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020