Exportar registro bibliográfico

Estudo químico, biológico e biotecnológico de Alternanthera marítima e Alternanthera tenella (Gomphreneae, amaranthaceae) (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: SALVADOR, MARCOS JOSE - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 593
  • Subjects: PRODUTOS NATURAIS; TECNOLOGIA FARMACÊUTICA; QUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho procedeu-se o estudo químico, biológico e biotecnológico de Alternanthera marítima e Alternanthera tenella (Gomphreneae, Amaranthaceae). Os extratos das plantas in natura foram investigados quimicamente, utilizando-se bioensaios (atividades antibacteriana, antifúngica, tripanocida e sobre a viabilidade celular de Leishmania (L.) amazonensis) para direcionar o estudo. Trinta e sete substâncias foram identificadas: 5 esteróides [estigmasterol (A1), 'beta'-sitosterol (A2), campesterol (A3), espinasterol (A4) e ''delta' POT.7'-estigmastenol (A5)]; 6 triterpenos ['alfa'-amirina (A32), 'beta'-amirina (A33), friedelina (A34), acetato de 'alfa'-amirina (A35), acetato de 'beta'-amirina (A36) e acetato de lupeol (A37)]; 2 ácidos carboxílicos (palmítico (A6) e vanílico); 4 saponinas esteroidais (estigmasterol e ''delta' POT.7'-estigmastenol-3-O'beta'-D-glucopiranosídeos e 'beta'-sitosterol e espinasterol-3-O'alfa'-D-glucopiranosídeos); 12 flavonóides {3 agliconas [quercetina (A23), 3-metoxi-quercetina (A11) e kaempferol (A12)]; 3 O- glicosídeos [isorhamnetina-3-O-robinobiosídeo (A16), rutina (A17) e isorhamnetina-3-O-rutinosídeo (A20)]; 6 C-glicosídeos [vitexina (A14), isovitexina (A15), 2"-O-'alfa'-L -ramnopiranosil-vitexina (A 18), 2" -O-'beta'-D- glucopiranosilvitexina (A 19), 5,7 -diidroxi-4'-metoxiflavona-8-C-'beta'-D- glucosídeo -2"-O-'alfa'-L- ramnosídeo (A21) e vicenina-2 (A22)}, 3 alcalóides {4,5-diidroxi-1-azatriciclo['6.3.2.0POT.2,7']trideca-2,4,6-trien-11-ona (A24), 1-(3,4- diidroxifenil)-1 ,2,3,4-tetrahidroisoquinolínico-6,7 -diol (A27) e 6,7 -diidroxi-3,4-diidroquinolínico-2 (1 H)-1 ona (A31 )}; 4 substâncias constituídas pelo grupo feniletil {2-(3,4-diidroxifenil)-etilformamida (A25), (3,4-diidroxifenil)-etanol (A26), (2R ,3R,4S, 5S,6R)-2-{[2-(3,4-di idroxifenil )etil]amino }-6-( hidroximetiI) tetrahidro-2H-pirano-3,4,5-triol (A28) e (2R,3R,4S,5S,6R)-2-{[2-(3,4- diidroxifenil)etil]éter} ... -6-(hidroximetil)tetrahidro-2H-pirano-3,4,5-triol (A29)} e 1- nucleosídeo [uridina (A30)]. Procedeu-se o desenvolvimento de culturas de células destas duas espécies de Alternanthera nos meios T11 e T43, sendo o meio T11 contendo 30,0 g/L de sacarose o mais adequado para o desenvolvimento in vitro destes vegetais. Avaliou-se as atividades biológicas e os resultados dos bioensaios mostraram que tanto os extratos orgânicos das plantas in natura de duas coletas (coletas 1 e 2 - mesmo hábitat e estação de anos distintos) quanto os obtidos por culturas de células (meios T11 e T43 semi-sólidos) apresentaram-se bioativos, sendo possível identificar algumas substâncias com atividade antibacteriana, antifúngica e antiparasitária. Empregando-se modelos quimiométricos (análise de agrupamento por semelhança e componentes principais) e o teste de Kruskal-Wallis, os resultados das atividades biológicas foram analisados estatisticamente. Estudos efetuando-se aanálise comparativa quanto ao perfil químico dos extratos das plantas in natura (coletas 1 e 2) e obtidos por culturas de células (meios T11 e T43) utilizando-se técnicas cromatográficas (CG e CLAE) também foram realizados, observando-se similaridade no perfil químico dos extratos das plantas in natura e obtidas in vitro. Com o auxílio da técnica analítica instrumental de fluorescência de raios X por reflexão total com excitação síncrotron (SRTXRF) procedeu-se a caracterização dos elementos inorgânicos presentes nos extratos e no pó das plantas in natura (coletas 1 e 2) e obtidas por cultura de células (meios T11 e T43 semi-sólidos). Os elementos P, S, K, Ca, Mn, Fe e Zn foram detectados tanto nas plantas in natura como obtidas por culturas de células, enquanto os elementos AI, Si, Co, Ni, Br, Cd, Sn, Sb, Ba e Pb foram detectados somente nas amostras das plantas in natura. Os limites de detecção obtidos nas amostras vegetais variaram de 0,040 (Cu) ... a 199,2 (AI) ''mü''g/g. Assim, buscou-se realizar o estudo químico, biológico e biotecnológico de A. maritima e A. tenella de maneira a isolar, caracterizar e otimizar condições para uma possível obtenção sustentável de extratos e/ou substâncias bioativos.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.08.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SALVADOR, Marcos José; DIAS, Diones Aparecida. Estudo químico, biológico e biotecnológico de Alternanthera marítima e Alternanthera tenella (Gomphreneae, amaranthaceae). 2005.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.
    • APA

      Salvador, M. J., & Dias, D. A. (2005). Estudo químico, biológico e biotecnológico de Alternanthera marítima e Alternanthera tenella (Gomphreneae, amaranthaceae). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Salvador MJ, Dias DA. Estudo químico, biológico e biotecnológico de Alternanthera marítima e Alternanthera tenella (Gomphreneae, amaranthaceae). 2005 ;
    • Vancouver

      Salvador MJ, Dias DA. Estudo químico, biológico e biotecnológico de Alternanthera marítima e Alternanthera tenella (Gomphreneae, amaranthaceae). 2005 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021