Exportar registro bibliográfico

Estrutura social e taxa de crescimento das colônias de Linepithema humile Mayr (Hymenoptera: Formicidae) (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: FLEIG, EDUARDO DIEHL - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: CRESCIMENTO ANIMAL; TAXAS; ESTRUTURA SOCIAL; FORMICIDAE; FORMIGAS; REPRODUÇÃO ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho teve por objetivos avaliar o comportamento agonístico entre operárias de ninhos distintos de Linepithema humile Mayr, determinar o período de produção de sexuados e a proporção sexual, estimar a variação do tamanho da população intranidal no verão e no inverno, e investigar a biologia reprodutiva, em especial, a taxa de crescimento de pequenas colônias. Para tal, coletaram-se em campo 26 ninhos de L. humile no município de Limeira, SP, transferidos para laboratório e mantidos em condições experimentais. Avaliaram-se os níveis de agressividade em pares de operárias de ninhos distintos (n = 11) em três tempos ao longo de um ano após as coletas. Avaliou-se a população intranidal através da contagem de todos os indivíduos de dez ninhos (cinco por estação). Estimou-se a taxa de crescimento para diferentes tamanhos de propágulos (10, 50, 100, 150, 200 e 500 operárias). A população de Limeira apresentou estrutura social unicolonial, com ausência de agressividade entre operárias de ninhos distintos. As operárias de L. humile foram altamente agressivas em relação a operárias de uma população proveniente do município de São Paulo. A produção de sexuados ocorreu durante o verão, com investimento sexual a favor das fêmeas (2,4 : 1). No inverno, encontrou-se um número de operárias cerca da metade do registrado no verão. O tamanho inicial dos propágulos influenciou positivamente a produção de prole total e, negativamente, a produção de proleper capita. A taxa de crescimento per capita não variou entre os tamanhos de propágulos iniciais testados. A redução do número de operárias poderia ser decorrente de condições abióticas durante o inverno, especialmente da baixa umidade e precipitação. Algumas hipóteses são levantadas para explicar a proporção sexual a favor das fêmeas encontrada. Finalmente, destaca-se que este é o primeiro registro da existência da estrutura social unicolonial em uma população de L. humile no Brasil
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.10.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FLEIG, Eduardo Diehl; BERTI FILHO, Evôneo. Estrutura social e taxa de crescimento das colônias de Linepithema humile Mayr (Hymenoptera: Formicidae). 2005.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2005. Disponível em: < http://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20181127-162146/ >.
    • APA

      Fleig, E. D., & Berti Filho, E. (2005). Estrutura social e taxa de crescimento das colônias de Linepithema humile Mayr (Hymenoptera: Formicidae). Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20181127-162146/
    • NLM

      Fleig ED, Berti Filho E. Estrutura social e taxa de crescimento das colônias de Linepithema humile Mayr (Hymenoptera: Formicidae) [Internet]. 2005 ;Available from: http://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20181127-162146/
    • Vancouver

      Fleig ED, Berti Filho E. Estrutura social e taxa de crescimento das colônias de Linepithema humile Mayr (Hymenoptera: Formicidae) [Internet]. 2005 ;Available from: http://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-20181127-162146/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021