Exportar registro bibliográfico

Liberação de óxido nítrico a partir de complexos mono e binucleares de rutênio. Aspectos químicos e fotoquímicos (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: SAUAIA, MARILIA GAMA - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 593
  • Subjects: QUÍMICA ANALÍTICA; QUÍMICA INORGÂNICA
  • Language: Português
  • Abstract: Esta tese é uma contribuição ao estudo da interação química de complexos de rutênio com o óxido nítrico. O óxido nítrico (NO) é um mensageiro biológico que tem vital importância em muitos processos fisiológicos, tais como o controle cardiovascular, a sinalização neural e a defesa contra microorganismos e tumores. Sua natureza radicalar lhe confere grande reatividade e versatilidade e torna um desafio o entendimento de sua bioquímica. A molécula de NO reage rapidamente com alguns metais de transição e forma compostos estáveis denominados complexos nitrosilo, os quais podem ser utilizados como fonte geradora de óxido nítrico. Para isso, é necessário um bom conhecimento do comportamento físico-químico de tais complexos. No presente trabalho, foram sintetizados os complexos: (1) cis-[Ru'(bpy) IND. 2'(L)(NO)]'('PF IND. 6') IND. 3'- bpy é 2,2'-bipiridina e L é 4-picolina (4-pic), piridina (py), 4-acetilpiridina (4-acpy) , pirazina (pz) -; (3) cis-'[Ru('NO IND. 2')'(bpy) IND. 2'(L)] POT. +' -L é 4-pic, py e pz -; (2) cis-[Ru'(bpy) IND. 2'(L)('NO POT. o')]'('PF IND. 6') IND. 2' -L é 4-pic, py e 4-acpy -e (4) ['Ru IND. A' '('NH IND. 3') IND. 4'(L')(pz)'Ru IND. B' '(bpy) IND. 2'(NO)]'('PF IND. 6') IND. 5', L' é 'NH IND. 3', pye 4-acpy. Os compostos foram isolados e caracterizados por análise elementar, por espectroscopia (UV-visível, infravermelho e EPR), por HPLC, por técnicas eletroquímicas (voltametria cíclica e de pulso diferencial) e por espectroeletroquímica.A espectroscopia na região do infravermelho mostrou para as espécies {'RU POT. II'-'NO POT. +'} uma banda de estiramento na região de 1945 'cm POT. -1'. No espectro de EPR foi possível observar para cis-'[Ru'(bpy) IND. 2'(py)('NO POT. 0')] POT. 2+' um sinal característico do 'NO POT. 0' coordenado ao rutênio, com valores de g = 1,865, 1,980 e 2,024. A técnica de espectroscopia na região do UV-visível evidenciou bandas na região do ultravioleta atribuídas ... às transições 'pi' 'seta' 'pi POT. *' dos ligantes insaturados e bandas na região de 330 nm caracterizadas como de transferência de carga metal ligante (TCML). Os espectros dos complexos binucleares também mostraram bandas de TCML na região de 530 nm (L' = 'NH IND. 3') e 560 nm (L' = py e 4-acpy). Os espectros de cis-'[Ru'(bpy) IND. 2'(L)('NO POT. 0')] POT. 2+' apresentaram bandas intraligante na região do ultravioleta e bandas na região do visível atribuídas à TCML com contribuição de transição de campo ligante (d 'seta' d). Os experimentos eletroquímicos evidenciaram dois processos centrados no ligante nitrosil: o processo reversível 'NO POT. +/0' e a redução irreversível 'NO POT. 0/-'. Além desses pares de picos, os complexos binucleares mostraram um processo redox em potenciais mais positivos que foi atribuído ao centro metálico coordenado às aminas ('['RU IND. A' '('NH IND. 3') IND. 4'(L')(pz)] POT. 2+/3+'). Os complexos foram irradiados em um sistema laser Nd:YAG de"flash-fotólise". Durante a irradiação mediu-se in situ a liberação de NO gasoso por amperometria e verificou-se a mudança espectroscópica da solução na região do UV-visível. A detecção amperométrica foi feita pelo eletrodo sensor de NO (NOmeter), cujos resultados serviram de base para o cálculo dos rendimentos quânticos de liberação de NO ( 'fi IND. NO' ). Para todas as espécies, 'fi IND. NO' foram determinados no comprimento de onda de irradiação ('lâmbda irr') de 355 nm e os valores obtidos foram de 0,007 '+ OU -' 0,001 a 0,17 '+ OU -' 0,02 mol 'einstein POT. -1'. Porém, para cis-[Ru(4-pic)'(bpy) IND. 2'('NO POT. 0')] POT. 2+' e para os complexos binucleares também foi possível calcular 'fi IND. NO' em 'lâmbda IND. irr' = 532 nm que variaram de 0,025 '+ OU -' 0,002 a 0,15 '+ OU -' 0,03 moi 'einstein POT. -1'. A liberação de NO frente um estímulo luminoso na região do visível, para as espécies binucleares, ocorre após ... transferência eletrônica, na qual um centro metálico ('RU IND. A') funciona como doador de elétrons e o outro ('RU IND. B') como receptor. Sendo assim, foram propostos diferentes mecanismos para a liberação fotoquímica de NO
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.06.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SAUAIA, Marília Gama; SILVA, Roberto Santana da. Liberação de óxido nítrico a partir de complexos mono e binucleares de rutênio. Aspectos químicos e fotoquímicos. 2005.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.
    • APA

      Sauaia, M. G., & Silva, R. S. da. (2005). Liberação de óxido nítrico a partir de complexos mono e binucleares de rutênio. Aspectos químicos e fotoquímicos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Sauaia MG, Silva RS da. Liberação de óxido nítrico a partir de complexos mono e binucleares de rutênio. Aspectos químicos e fotoquímicos. 2005 ;
    • Vancouver

      Sauaia MG, Silva RS da. Liberação de óxido nítrico a partir de complexos mono e binucleares de rutênio. Aspectos químicos e fotoquímicos. 2005 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021