Exportar registro bibliográfico

Florística, riqueza e abundância de bromélias epífitas e o manejo de florestas de caixeta, Iguape, São Paulo (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated author: CARVALHAES, MARIANA APARECIDA - EESC
  • School: EESC
  • Sigla do Departamento: SHS
  • Subjects: BROMELIALES; PLANTAS (IDENTIFICAÇÃO); FLORESTAS
  • Language: Português
  • Abstract: últimas, espécies atualmente comercializadas no setor atacadista de São Paulo. De maneira geral, as maiores abundância e riqueza de bromélias são encontradas em altura intermediária (2 a 6 m) e em caixetas como diâmetro à altura do peito (DAP) > 15 cm. Uma vez que, foi verificado que o manejo da caixeta afeta negativamente a abundância e a riqueza de espécies da sinúsia de bromélias epífitas, são propostos parâmetros e procedimentos de "bom manejo" para melhoria do sistema, considerando a inclusão das bromélias no sistema de manejo atual e o manejo exclusivo destas. É imprescindível o monitoramento a longo prazo do impacto da colheita sobre a sinúsia de bromélias, para a definição de práticas de manejo e técnicas silviculturais que devem ser incorporadas para aprimorar o "bom manejo" das bromélias epífitas nos caixetais, do ponto de vista biológicoOs caixetais, florestas paludosas caracterizadas pela dominância de caixeta (Tabebuia cassinoides), têm hoje no Vale do Ribeira seus maiores remanescentes, mesmo tendo sido a caixeta um importante produto do extrativismo da região. O sistema tradicional de manejo da caixeta é caracterizado pela subutilização de recursos não madeireiros, apesar da riqueza e da abundância de formas de crescimento não arbóreas, especialmente bromélias epífitas de forte apelo ornamental. Estas são danificadas ou mortas durante a colheita de caixeta e deixadas na floresta, constituindo um resíduo da exploração de madeira. A ausência de conhecimento ecológico sobre estas bromélias epífitas, dificulta a sua inclusão no sistema de manejo. Ao mesmo tempo, diferentes espécies de bromélias são extraídas de forma predatória em toda Mata Atlântica e comercializadas apesar da proibição legal, o que juntamente com a ausência da regulação da atividade, aumenta a pressão do extrativismo clandestino destas espécies. O principal objetivo do presente estudo foi conhecer a composição florística e a estrutura das espécies de bromélias epífitas, considerando a distribuição espacial, a riqueza e a abundância em diferentes caixetais no município de Iguape. Foram identificadas 27 espécies de bromélias epífitas. No conjunto de 250 caixetas analisadas em cinco caixetais, as populações de Aechmea nudicaulis, Vriesia rodigasiana, A. coelestis e V. carinata foram as mais abundantes, sendo as três
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.06.2005
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARVALHAES, Mariana Aparecida; VIANA, Virgílio Maurício. Florística, riqueza e abundância de bromélias epífitas e o manejo de florestas de caixeta, Iguape, São Paulo. 2005.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18139/tde-18042016-105815/pt-br.php >.
    • APA

      Carvalhaes, M. A., & Viana, V. M. (2005). Florística, riqueza e abundância de bromélias epífitas e o manejo de florestas de caixeta, Iguape, São Paulo. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18139/tde-18042016-105815/pt-br.php
    • NLM

      Carvalhaes MA, Viana VM. Florística, riqueza e abundância de bromélias epífitas e o manejo de florestas de caixeta, Iguape, São Paulo [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18139/tde-18042016-105815/pt-br.php
    • Vancouver

      Carvalhaes MA, Viana VM. Florística, riqueza e abundância de bromélias epífitas e o manejo de florestas de caixeta, Iguape, São Paulo [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18139/tde-18042016-105815/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2022