Exportar registro bibliográfico

Avaliação da discriminação interoclusal para microespessuras e da força máxima de mordida em pacientes portadores de disfunções temporomandibulares (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: KOGAWA, EVELYN MIKAELA - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAP
  • Subjects: DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR; FORÇA DE MORDIDA
  • Language: Português
  • Abstract: Algumas funções sensoriais e motoras podem ser influenciadas pela presença das Disfunções Temporomandibulares (DTM). Este trabalho teve como objetivo avaliar a discriminação interoclusal para microespessuras e a força máxima de mordida em pacientes portadores de DTM. Duzentos indivíduos do sexo feminino foram divididos igualmente em quatro grupos: grupo controle (assintomáticos), DTM de origem miogênica, DTM de origem artrogênica e DTM de origem mista. Inicialmente foi realizada a avaliação da capacidade de discriminação interoclusal para microespessuras, utilizando lâminas de alumínio produzidas industrialmente com 0,010mm; 0,024 mm; 0,030 mm; 0,050mm; 0,080 mm e 0,094 mm de espessura, inseridas na região de pré-molares. A força máxima de mordida foi avaliada na região de primeiro molar de ambos os lados, em duas sessões, usando um dinamômetro digital modelo IDDK (Kratos), adaptado para as condições bucais. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente (ANOVA, Kruskal-Wallis, Correlação de Spearman e Pearson) num nível de significância de 5%. Os pacientes do grupo misto apresentaram um limiar tátil mediano interoclusal reduzido (0,018 mm), semelhante ao do grupo controle (0,017 mm), e os grupos muscular e articular apresentaram o limiar tátil oclusal de 0,020 mm e 0,022 mm, respectivamente, diferindo estatisticamente do grupo controle. Não houve correlação entre a capacidade média de discriminação interoclusal para microespessuras e a idade dosindivíduos. O grupo controle apresentou valores médios de força máxima de mordida significantemente maiores do que os grupos experimentais (p=0,000), porém sem diferença estatisticamente significante em relação ao lado examinado. Na segunda sessão dos exames, os valores de força máxima de mordida foram significantemente maiores que a primeira (p=0,001). Concluiu-se que pacientes portadores de DTM podem ter a discriminação interoclusal e a força de mordida ) alteradas devido à presença da disfunção
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.03.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KOGAWA, Evelyn Mikaela; CONTI, Paulo César Rodrigues. Avaliação da discriminação interoclusal para microespessuras e da força máxima de mordida em pacientes portadores de disfunções temporomandibulares. 2005.Universidade de São Paulo, Bauru, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25135/tde-22092005-093310/ >.
    • APA

      Kogawa, E. M., & Conti, P. C. R. (2005). Avaliação da discriminação interoclusal para microespessuras e da força máxima de mordida em pacientes portadores de disfunções temporomandibulares. Universidade de São Paulo, Bauru. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25135/tde-22092005-093310/
    • NLM

      Kogawa EM, Conti PCR. Avaliação da discriminação interoclusal para microespessuras e da força máxima de mordida em pacientes portadores de disfunções temporomandibulares [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25135/tde-22092005-093310/
    • Vancouver

      Kogawa EM, Conti PCR. Avaliação da discriminação interoclusal para microespessuras e da força máxima de mordida em pacientes portadores de disfunções temporomandibulares [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25135/tde-22092005-093310/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021