Exportar registro bibliográfico

Organização estrutural dos genes envolvidos com o complexo proteolítico proteassoma 26S e a análise de suas expressões durante o ciclo evolutivo de Schistosoma mansoni (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREIRA JUNIOR, OLAVO DOS SANTOS - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: BIOQUÍMICA MICROBIANA; BIOLOGIA MOLECULAR
  • Language: Português
  • Abstract: O sistema ubiquitina-proteassoma é considerado a principal via de degradação de proteínas intracelulares em células eucarióticas. Neste sistema, as proteínas são marcadas para a destruição pela adição de uma cadeia de poliubiquitina a um resíduo de lisina no substrato, pela ação conjunta de três tipos de enzimas: E1 (ativadora de ubiquitina), E2 (conjugadora de ubiquitina), e E3 (enzima de ligação). Dessa forma, os substratos poliubiquitinados são reconhecidos e degradados pelo complexo enzimático proteassoma 26S. Muitas linhas de evidências têm demonstrado que o sistema ubiquitina-proteassoma desempenha importantes funções em processos biológicos críticos, incluindo a progressão do ciclo celular, apoptose, desenvolvimento e resposta imune. Neste trabalho, nós relatamos pela primeira vez o perfil de expressão de subunidades do proteassoma 26S através do ciclo de vida de S. mansoni. Com relação às análises das subunidades Rpts (ATPásicas), a comparação entre as seqüências genômicas e de mRNA não revelou a presença de íntrons. Também não foi observada a amplificação dos transcritos SmRpt1, SmRpt2 e SmRpt6 nos estágios de cercaria. Porém, RT -PCR semiquantitativo e Northem Blot revelaram menor nível de transcrição dos genes SmRpt1, 2 e 6 nos estágios de vermes adultos e cercaria, respectivamente, sendo que o transcrito proveniente de SmRpt5b somente foi detectado em esquistossômulo transformado. Esses resultados sugerem um diferente padrão de expressão genesSmRpts que codificam para as subunidades Rpts durante o ciclo de vida desse parasita. Com relação à clássica subunidade não ATPásica, SmRpn10, nós mostramos a codificação de três transcritos nas diferentes fases evolutivas do parasita: SmRpn10a (vermes adultos, esquistossômulo, ovos, cercária), SmRpn10b (esquistossômulo) e SmRpn10c (esporocisto). A análise de suas seqüências revelou a possibilidade de se expressar três supostas isoformas para a subunidade (continua)... (continação) SmRpn10, contendo respectivamente 419, 409 e 331 aminoácidos. Também foi evidenciada a presença de três domínios de interação a ubiquitina (UIMs) 1,2 e 3 em todas isoformas. Nossas análises também revelaram a presença de pelo menos três genes 5mBeta-catalíticos (SmBeta1, 5mBeta2 e 5mBeta5b) e um suposto pseudogene (SmBeta5a). De forma contrária às subunidades Rpts, os transcritos para as subunidades Beta1, 2 e 5 foram constitutivamente expressos em vermes adultos, esquistossômulos, ovos, cercarias e esporocistos (caramujos infectados). De forma semelhante às subunidades Rpts, regiões intervenientes não foram encontradas nos genes Sm'beta'. A relação filogenética entre as subunidades Rpts e Beta-catalíticas de S. mansoni com subunidades homólogas também foi investigada. Nós demonstramos que o proteassoma 26S deste parasita seguiu um padrão co-evolutivo semelhante ao observado para o proteassoma 26S de outros organismos, uma vez que a evolução aponta para a manutenção deinúmeras características estruturais e funcionais do proteassoma 26S, desde leveduras até seres humanos. Finalmente este estudo também investigou a possibilidade de se utilizar genes relacionados ao proteassoma 26S de S. mansoni como marcador molecular para detecção de caramujos infectados com o parasita. Desta forma, o gene Sm'alfa'6 demonstrou ser um promissor marcador molecular altamente específico. A utilização de oligonucleotídeo específico para Sm'alfa'6 possibilitou a detecção de caramujos B. glabrata após cinco dias da contaminação com a fase evolutiva de miracídio. Em conclusão, o presente estudo demonstrou interessantes alternativas a nível gênico e transcricional para a formação de diferentes moléculas de proteassoma 26S, sugerindo um mecanismo auxiliar na regulação da proteólise durante o ciclo evolutivo de S. mansoni
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.04.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA JÚNIOR, Olavo dos Santos; RODRIGUES, Vanderlei. Organização estrutural dos genes envolvidos com o complexo proteolítico proteassoma 26S e a análise de suas expressões durante o ciclo evolutivo de Schistosoma mansoni. 2005.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.
    • APA

      Pereira Júnior, O. dos S., & Rodrigues, V. (2005). Organização estrutural dos genes envolvidos com o complexo proteolítico proteassoma 26S e a análise de suas expressões durante o ciclo evolutivo de Schistosoma mansoni. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pereira Júnior O dos S, Rodrigues V. Organização estrutural dos genes envolvidos com o complexo proteolítico proteassoma 26S e a análise de suas expressões durante o ciclo evolutivo de Schistosoma mansoni. 2005 ;
    • Vancouver

      Pereira Júnior O dos S, Rodrigues V. Organização estrutural dos genes envolvidos com o complexo proteolítico proteassoma 26S e a análise de suas expressões durante o ciclo evolutivo de Schistosoma mansoni. 2005 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020