Exportar registro bibliográfico

O que os jovens têm a dizer sobre a adolescência e o tema da morte? (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: RODRIGUEZ, CLAUDIA FERNANDA - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PSA
  • Subjects: ADOLESCÊNCIA; EDUCAÇÃO EM RELAÇÃO À MORTE
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho buscou compreender como os adolescentes percebem, refletem e se relacionam com o tema da morte e verificar como explicam as altas taxas de mortalidade na sua faixa etária. Além disso, investigou-se a necessidade de discutir o tema da morte com a família, amigos, profissionais e quais as maneiras que os jovens consideram melhor. Esta reflexão é relevante e fundamental uma vez que as estatísticas mostram dados alarmantes sobre o aumento da mortalidade entre adolescentes, principalmente relacionadas com acidentes e mortes violentas. Buscou-se compreender o processo da adolescência e a sua relação com o tema da morte, a partir de uma abordagem qualitativa na coleta e na compreensão dos dados. Participaram desta pesquisa adolescentes do Ensino Fundamental e Médio de duas escolas da cidade de São Paulo. Foi exibido o vídeo "Falando de morte com o adolescente" (do Laboratório de Estudos sobre a Morte do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo) e foram propostas discussões com os adolescentes, inspiradas na modalidade denominada Grupo Focal. Categorias temáticas foram destacadas com o intuito de formar alguns eixos de análise. As reflexões feitas pelos adolescentes envolveram o tema da morte e a dificuldade de pensar na possibilidade da perda de pessoas queridas. De uma forma geral, os adolescentes não percebem a morte como possibilidade pessoal, expressando sentimentos de imortalidade e onipotência. Ao relatarem perdas de amigos tambémadolescentes, os sentimentos de choque e tristeza intensa são freqüentes, afinal, os amigos são importantes fontes de apoio num processo de identificação. Algumas das hipóteses sobre os altos índices de mortalidade na adolescência foram: uso de drogas; violência; banalização da morte; situações sociais desfavoráveis; AIDS; falta de emprego e de perspectivas de futuro; suicídios; dificuldade na comunicação (Contunuação) com profissionais, amigos e familiares; dificuldades na expressão de sentimentos e pedidos de ajuda; acidentes; falta de limites e a postura de desafiar o mundo; más influências; não imposição de responsabilidade pela sociedade; entraves na educação etc. Foi estabelecido um contato com profissionais de educação que refletiu como a escola compreende um importante espaço para possibilitar a discussão e a reflexão sobre o tema da morte entre os profissionais e entre/com os alunos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.05.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RODRIGUEZ, Cláudia Fernanda; KOVÁCS, Maria Júlia. O que os jovens têm a dizer sobre a adolescência e o tema da morte?. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-25072006-105925/ >.
    • APA

      Rodriguez, C. F., & Kovács, M. J. (2005). O que os jovens têm a dizer sobre a adolescência e o tema da morte?. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-25072006-105925/
    • NLM

      Rodriguez CF, Kovács MJ. O que os jovens têm a dizer sobre a adolescência e o tema da morte? [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-25072006-105925/
    • Vancouver

      Rodriguez CF, Kovács MJ. O que os jovens têm a dizer sobre a adolescência e o tema da morte? [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-25072006-105925/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021