Exportar registro bibliográfico

Identificação de raças de Xanthomonas spp. patogênicas a pimentão no estado de São Paulo (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: WIERZBICKI, ROBERT - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS; MELHORAMENTO GENÉTICO VEGETAL; PIMENTÃO; INFECÇÕES BACTERIANAS; RESISTÊNCIA GENÉTICA VEGETAL
  • Language: Português
  • Abstract: A pústula bacteriana é uma das principais doenças que afetam o pimentão em todo o mundo. Seu agente causal pode ser disseminado por sementes, e é capaz de diminuir a produção e depreciar os frutos para comercialização. A bactéria Xanthomonas spp., o agente causal da doença, apresenta alta variabilidade. Três espécies estão associadas à doença: Xanthomonas axonopodis pv. vesicatoria, X. vesicatoria e X. gardneri. Enquanto alguns isolados infectam somente o pimentão, outros infectam pimentão e tomate. Xanthomonas axonopodis pv. vesicatoria é considerada a espécie mais comum em pimentão, e era anteriormente conhecida como o grupo A de Xanthomonas campestris pv. vesicatoria (A1 não amidolítico, A2 amidolítico); e o grupo B era representado por Xanthomonas vesicatoria (fortemente amidolítico). Até agora, 11 raças do patógeno foram relatadas, sendo as raças 1, 2 e 3 as mais comuns. A resistência genética tem sido a mais importante forma de controle e pode ser obtida pelo emprego de 4 genes dominantes (Bs1, Bs2, Bs3, Bs4). Estes genes estão associados à reação de hipersensibilidade e representam a forma mais promissora de resistência atualmente. Mesmo assim, o gene de resistência a ser utilizado depende da correta identificação das raças no campo. Este trabalho teve como objetivo a identificação de raças de Xanthomonas spp. isoladas em áreas de produção no Estado de São Paulo, visando o desenvolvimento e/ ou recomendação de cultivares resistentes. A identificação de raçasdo patógeno foi realizada através da observação da reação de hipersensibilidade em linhas quase isogênicas de pimentão Early California Wonder - ECW, ECW-10R, ECW-20R, ECW-30R; e na pimenta PI-235047. Os resultados obtidos entre os 41 isolados avaliados, indicaram a ocorrência das seguintes raças por região: raça 0 (Lins); raça 1 (Bacuriti); raça 2 (Bragança Paulista, Bacuriti, Lins, Ibiúna, Piacatu e ) Guaíra); raça 3 (Piedade); raça 7 (Mogi das Cruzes) e raça 8 (Piedade, Bragança Paulista, Bacuriti, Lins e Mogi das Cruzes). Pelos resultados, sugere-se o desenvolvimento e a recomendação de cultivares com o gene Bs2 para as regiões estudadas, pois este gene confere resistência às raças 0, 1, 2, 3, 7 e 8 do patógeno
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.01.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WIERZBICKI, Robert; MENTEN, José Otávio Machado. Identificação de raças de Xanthomonas spp. patogênicas a pimentão no estado de São Paulo. 2005.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-28042005-135025/ >.
    • APA

      Wierzbicki, R., & Menten, J. O. M. (2005). Identificação de raças de Xanthomonas spp. patogênicas a pimentão no estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-28042005-135025/
    • NLM

      Wierzbicki R, Menten JOM. Identificação de raças de Xanthomonas spp. patogênicas a pimentão no estado de São Paulo [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-28042005-135025/
    • Vancouver

      Wierzbicki R, Menten JOM. Identificação de raças de Xanthomonas spp. patogênicas a pimentão no estado de São Paulo [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-28042005-135025/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021