Exportar registro bibliográfico

Estudo comparativo entre os métodos ELISA e imunofluorescência indireta na análise amostras de sangue de cães provenientes de municípios endêmicos e enzoóticos para leishmaniose visceral americana (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, RITA MARIA DA - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • Subjects: LEISHMANIOSE VISCERAL ANIMAL (SANGUE;PREVENÇÃO E CONTROLE); ELISA EM ANIMAL; IMUNOFLUORESCÊNCIA EM ANIMAL; TESTES SOROLÓGICOS (MÉTODOS)
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo avaliou 2002 amostras de sangue de cães provenientes de áreas endêmicas (região oeste do Estado de São Paulo) e de áreas não endêmicas (município de São Paulo) para leishmaniose visceral americana (LVA), com o objetivo de otimizar os testes sorológicos preconizados pelo Programa de Controle de LVA em inquéritos sorológicos caninos, e produzidos por Biomanguinhos (Reação de Imunofluorescência Indireta / RIFI-BM e Ensaio Imunoenzimático (ELISA / ELISA-BM. Os resultados dos dois testes RIFI-BM foram comparados com os resultados obtidos nos mesmos testes mas utilizando antígeno específico de Leishmania chagasi e permitiram concluir que a RIFI com antígeno específico (RIFI-CH) foi capaz de separar todos os verdadeiros negativos dos verdadeiros positivos. Foi possível ainda observar que a eficiência da RIFI-BM variou de 60 por cento a 76 por cento. Quando se compararam os resultados da RIFI-BM com soro e com papel-filtro, na diluição de 1/40, como preconiza o PCLVA, observou-se que para a RIFI com papel-filtro o melhor ponto de corte ficou definido como 30 por cento, ou seja, acima de 1+ (25 por cento) e para o soro o ponto de corte ficou estabelecido em 45 por cento. Portanto o novo parâmetro para o ponto de corte da RIFI-BM deve ser a diluição1/40 com leituras de 2+ (50 por cento), ou então 1/80 o que seguramente diminuiria o número de falsos positivos. Da comparação de resultados da RIFI-BM com os do ELISA-BM observou-se uma discordância de 23por cento entre os dois testes, ou seja o ELISA-BM deixou de diagnosticar 23 por cento dos resultados positivos em relação aos observados com a RIFI-BM. O ELISA BioManguinhos forneceu mais resultados falsos positivos com o ponto de corte estabelecido pelo Kit, quando comparado com o novo ponto de corte proposto neste estudo, que foi calculado a partir de controles negativos eluados. Quando ELISA foi avaliado com o novo ponto de corte nas 3 populações caninas dos inquéritos sorológicos (Rubiácea, Piacatú e Luziânia) a soroprevalência diminuiu em quase 50 por cento quando comparado com o mesmo teste com o ponto de corte preconizado por Biomanguinhos. Os resultados do estudo demonstraram a urgência de se implementar iniciativas para o aprimoramento de novos testes sorológicos com antígenos específicos que sejam capazes de identificar e separar as diferentes fases da doença.(AU)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.03.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Rita Maria da; GOMES, Almério de Castro. Estudo comparativo entre os métodos ELISA e imunofluorescência indireta na análise amostras de sangue de cães provenientes de municípios endêmicos e enzoóticos para leishmaniose visceral americana. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
    • APA

      Silva, R. M. da, & Gomes, A. de C. (2005). Estudo comparativo entre os métodos ELISA e imunofluorescência indireta na análise amostras de sangue de cães provenientes de municípios endêmicos e enzoóticos para leishmaniose visceral americana. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Silva RM da, Gomes A de C. Estudo comparativo entre os métodos ELISA e imunofluorescência indireta na análise amostras de sangue de cães provenientes de municípios endêmicos e enzoóticos para leishmaniose visceral americana. 2005 ;
    • Vancouver

      Silva RM da, Gomes A de C. Estudo comparativo entre os métodos ELISA e imunofluorescência indireta na análise amostras de sangue de cães provenientes de municípios endêmicos e enzoóticos para leishmaniose visceral americana. 2005 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021