Exportar registro bibliográfico

Influência da técnica de desobturação e do limite de obturação na extrusão apical (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: ESTEVES, CRISTIANE LINGE EXPOSITO - FO
  • Unidade: FO
  • Sigla do Departamento: ODD
  • Subjects: NÍQUEL; TITÂNIO; CANAL RADICULAR; OBTURAÇÃO DO CANAL RADICULAR; INSTRUMENTOS CIRÚRGICOS ODONTOLÓGICOS
  • Language: Português
  • Abstract: O controle da extrusão apical durante a reintervenção endodôntica é essencial para o sucesso do novo tratamento. Nesse contexto, o presente estudo teve como objetivo comparar a quantidade de material sólido extruído na desobturação de canais radiculares variando-se a técnica de esvaziamento e o limite de obturação. Foram utilizados 40 incisivos inferiores previamente tratados divididos em dois grupos de acordo com o limite de obturação estabelecido. Cada grupo foi subdividido em dois subgrupos levando-se em conta a técnica de desobturação empregada; manual (subgrupos A1 e B1) e mecânico-rotatória com limas de Ni-Ti (Quantec LX) (subgrupos A2 e B2). O material sólido extruído foi coletado por meio do sistema de filtração Millipore, levado à secagem em dessecador de sílica e pesado em balança analítica de precisão. Os resultados obtidos foram submetidos a ANOVA para dois fatores de variação sendo em seguida empregado o Teste de Tukey (a = 5%). A técnica de desobturação mecânico-rotatória produziu menor extrusão (0,66mg) que a manual (1,11mg), havendo diferença estatística significante entre elas (p < 0,05). Os canais preenchidos até o vértice radiográfico apresentaram maior quantidade de extrusão (1,38mg) do que os obturados 1 mm aquém do forame (0,39mg), observando-se diferença estatística significante entre eles (p < 0,05). A menor quantidade extrusão foi observada no subgrupo A2 (0,20mg), em que foi empregada a técnica rotatória dedesobturação em canais obturados 1mm aquém do forame apical, sendo constatada diferença estatisticamente significante deste subgrupo com os demais (p < 0,05). A extrusão de material sólido durante a desobturação de canais radiculares é influenciado pela técnica empregada e pelo limite apical de obturação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.11.2004
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      EXPOSITO, C. L.; GAVINI, Giulio. Influência da técnica de desobturação e do limite de obturação na extrusão apical. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23135/tde-21012005-102925/ >.
    • APA

      Exposito, C. L., & Gavini, G. (2004). Influência da técnica de desobturação e do limite de obturação na extrusão apical. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23135/tde-21012005-102925/
    • NLM

      Exposito CL, Gavini G. Influência da técnica de desobturação e do limite de obturação na extrusão apical [Internet]. 2004 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23135/tde-21012005-102925/
    • Vancouver

      Exposito CL, Gavini G. Influência da técnica de desobturação e do limite de obturação na extrusão apical [Internet]. 2004 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23135/tde-21012005-102925/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021