Exportar registro bibliográfico

Estresse oxidativo cerebral em ratos induzindo pelo ácido ´DELTA´-aminolevulínico, um pró-oxidante endógenos: conexões com porfirias agudas hereditárias e saturnismo (1995)

  • Authors:
  • Autor USP: DEMASI, MARILENE - IQ
  • Unidade: IQ
  • Sigla do Departamento: QBQ
  • Subjects: SISTEMA NERVOSO CENTRAL (EXPERIMENTOS); SISTEMA NERVOSO CENTRAL (ESTUDO); SATURNISMO (ESTUDO); OXIDAÇÃO (METABOLISMO); BIOQUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: O ácido ´DELTA`-aminolevulínico, precursor do grupo heme, é tido como fator desencadeante das manifestações clínicas das portirias agudas hereditárias e adquiridas (e.g., saturnismo), e ainda, sugerido como sendo fonte endógena de oxiradicais. Nesta tese foi pesquisado efeito oxidativo no sistema nervoso central de ratos submetidos a tratamento agudo (40 mg/kg peso corporal) e prolongado com ALA. Após tratamento agudo observou-se aumento da concentração de ferro total não-hemínico (20´POR CENTO`) em córtex cerebral. Após uso prolongado (uma dose em dias alternados por duas semanas), os seguintes indicadores de estresse oxidativo mostraram-se significantemente aumentados: atividade da CuZnSOD (67´POR CENTO`) em homogenato de cérebro total, ferro total não-hemínico (68´POR CENTO`) e ferritina (71 ´POR CENTO`) no córtex, ferritina no estriado (44´POR CENTO`), carbonilas proteicas em homogenato de córtex (3 vezes), captação de ´ANTPOT.45CaPOT.2POSITIVO` por sinaptosomas corticais (45´POR CENTO`), quimiluminescência espontânea em córtex, fígado e músculo esquelético e a capacidade anti-oxidante do plasma. Paralelamente, verificou-se alteração da capacidade da ligação de alta afinidade de receptores gabaérgicos, marcados com ´ANPOT.3H`-muscimol, avaliada pelo aumento da `K IND.d` (2 vezes), em membranas sinápticas preparadas a partir de cérebro total de ratos tratados cronicamente. Verificou-se, ainda, na mesma preparação de membranas sinápticas, aumento da produção deprodutos de reação do ácido tiobarbitúrico, dienos conjugados e carbonilas proteicas, todos estes indicadores de lesão oxidativa à membrana. Nenhuma alteração foi observada nos receptores dopaminérgicos e serotonérgicos. In vitro O ALA produziu efeitos semelhantes sobre a capacidade de ligação dos receptores gabaérgicos, estímulo da captação de ´Ca POT.2POSITIVO` por sinaptosomas corticais e indução da liberação de ferro de ferritina. ) Estes resultados são compatíveis com a hipótese de que ALA produz efeito oxidativo no tecido cerebral, além dos efeitos sobre o metabolismo de ferro e alterações da capacidade de ligação de receptores gabaérgicos. Muito provavelmente, os efeitos aqui observados correlacionam-se com as manífestaões neuropsiquiátricas das portirias clínicas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.06.1995

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DEMASI, Marilene; BECHARA, Etelvino José Henriques. Estresse oxidativo cerebral em ratos induzindo pelo ácido ´DELTA´-aminolevulínico, um pró-oxidante endógenos: conexões com porfirias agudas hereditárias e saturnismo. 1995.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1995.
    • APA

      Demasi, M., & Bechara, E. J. H. (1995). Estresse oxidativo cerebral em ratos induzindo pelo ácido ´DELTA´-aminolevulínico, um pró-oxidante endógenos: conexões com porfirias agudas hereditárias e saturnismo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Demasi M, Bechara EJH. Estresse oxidativo cerebral em ratos induzindo pelo ácido ´DELTA´-aminolevulínico, um pró-oxidante endógenos: conexões com porfirias agudas hereditárias e saturnismo. 1995 ;
    • Vancouver

      Demasi M, Bechara EJH. Estresse oxidativo cerebral em ratos induzindo pelo ácido ´DELTA´-aminolevulínico, um pró-oxidante endógenos: conexões com porfirias agudas hereditárias e saturnismo. 1995 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020