Exportar registro bibliográfico

Condições de vida e saúde de idosos com acidente vascular cerebral (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RAMIREZ, MAGDALENA HERNANDEZ - EERP
  • Unidades: EERP
  • Sigla do Departamento: ERG
  • Subjects: IDOSOS (CAPACITAÇÃO;MORTALIDADE); ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
  • Language: Português
  • Abstract: O crescimento do número de idosos e da expectativa de vida tem facilitado o aumento de doenças crônicas não-transmissíveis que, em interação com diversos fatores de risco, desencadeiam o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Esta doença traz graves conseqüências, tais como a perda da capacidade funcional, a dependência e a morte neste grupo da população devido à sua fragilidade. Objetivos: caracterizar o idoso portador de acidente vascular cerebral, avaliar sua capacidade funcional para as atividades da vida diária e descrever o acesso aos serviços de saúde e a rede de apoio para o cuidado familiar. Material e Métodos: a população foi composta por 26 pessoas de 60 anos ou mais, residentes do Estado de Tlaxcala, México internadas em unidades hospitalares de segundo nível da Secretaria de Saúde e selecionadas durante quatro meses. Utilizou-se o instrumento SABE (OPAS) incluindo seis seções relacionadas à situação sociodemográfica, às condições de saúde, à rede social de apoio, ao acesso institucional e à capacidade funcional, adotando para esta última as escalas de atividades básicas e instrumentais da vida diária. O universo para a primeira entrevista correspondeu a 26 idosos, enquanto na segunda participaram 17. A coleta dos dados foi baseada em entrevistas individuais, no domicílio, durante a semana da alta hospitalar e depois de quatro meses. Os dados foram analisados através da estatística descritiva e a aplicação do Teste de Mc Nemar para determinar o nível designificância estatística. Resultados: Os idosos foram vítimas de AVC do subtipo isquêmico em 80,8% e hemorrágico em 19,2% dos casos, 53,8% pertenceram ao sexo masculino e 46,2% ao feminino. A maioria dos homens era casada, enquanto a maior parte das mulheres era viúva ou separada. Quanto ao nível escolar, foi predominantemente primeiro grau incompleto para os homens e analfabetismo para as mulheres. Uma grande parte dos participantes eram ... originários, residentes e procedentes da área rural de Tlaxcala e possuíam casa própria onde moravam com quatro ou cinco pessoas. Dividiam o terreno com os filhos casados e suas famílias. Não recebiam pensão e sua renda econômica era escassa, dependendo de doações dos filhos, principalmente para sua manutenção. Eram pessoas sedentárias, um terço deles com histórico de tabagismo e um quarto com alcoolismo, principalmente entre os homens. Cerca de 80% não possuía seguro de saúde particular. Ninguém foi rejeitado quando recorreu ao hospital pela primeira vez com sintomas de AVC. Eram portadores de uma ou mais doenças crônicas, com hipertensão arterial em 70% e Diabetes Mellitus (DM) em 42% dos casos. Cerca de 70% dos participantes apresentavam dificuldades de visão, cerca de 25% mencionavam problemas de audição e a falta de mais de quatro dentes. Mais de 33% tinha sofrido queda pelo menos uma vez nos últimos 12 meses, com maior freqüência entre as mulheres. As seqüelas mais importantes diziam respeito à funçãomotora, deglutição e mobilidade. Quase todos estavam usando entre quatro e seis medicamentos, a maioria dos quais tinha sido indicado pelo médico. Mais de 90% estavam parcial ou totalmente dependentes para as atividades da vida diária, precisando de ajuda para sobreviver. As mulheres apresentavam maior dependência que os homens. A maior dificuldade evidenciada nas atividades básicas da vida diária foi a de entrar ou sair do banho e tomar banho. Na segunda entrevista, foi observada uma diferença mínima para melhor, entre os entrevistados, detectando-se a falta de reabilitação e adesão ao tratamento indicado, além da falta de higiene pessoal. O cuidado familiar foi menor na segunda entrevista do que na primeira. Não ocorreu seguimento dos casos de pacientes idosos na comunidade para a prevenção, recuperação e reabilitação do seu problema de saúde. Conclusões: O estudo permitiu identificar as ... características socioeconômicas e as condições de vida e saúde vinculadas ao AVC, resultado de múltiplos fatores, tais como a falta de capacitação, a falta de reabilitação e o manejo do conflito familiar do problema. Os resultados também revelaram a necessidade de apoiar o paciente e sua família com capacitação e reabilitação, para diminuir não só a mortalidade por AVC, mas também a deficiência e dependência dos idosos, propiciando uma melhor qualidade de vida e retomando os idosos à sociedade.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.12.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RAMÍREZ, Magdalena Hernández; RODRIGUES, Rosalina Aparecida Partezani. Condições de vida e saúde de idosos com acidente vascular cerebral. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Ramírez, M. H., & Rodrigues, R. A. P. (2004). Condições de vida e saúde de idosos com acidente vascular cerebral. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Ramírez MH, Rodrigues RAP. Condições de vida e saúde de idosos com acidente vascular cerebral. 2004 ;
    • Vancouver

      Ramírez MH, Rodrigues RAP. Condições de vida e saúde de idosos com acidente vascular cerebral. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019