Exportar registro bibliográfico

Preferências de leitura de meninos e meninas na escola implicam o papel da mulher, professora e leitora (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: CORREA, MARIA CELESTE ARANTES - FE
  • Unidade: FE
  • Subjects: GÊNEROS (GRUPOS SOCIAIS); LEITURA; PRÁTICA DE ENSINO; APRENDIZAGEM; HÁBITO DE LEITURA
  • Language: Português
  • Abstract: Esta pesquisa investiga as escolhas preferenciais de leitura de garotos e garotas em idade escolar e sua relação com os benefícios materiais e simbólicos que trazem ao processo de aprendizado. Estudamos alguns aspectos da história da leitura, a partir do conceito de habitus de Bourdieu, que focaliza sua teoria em uma histórica dominação masculina. Estudamos também as condições objetivas de leituras femininas no contexto de um país dependente, que coloca as mulheres na posição antes de consumidoras que de produtoras de literatura. Também trouxemos à discussão os tipos de publicação lidos por operárias brasileiras e professoras - e, quanto a estas últimas, suas diferentes atitudes ao lidar com as avaliações de desempenhos cognitivos de garotos e garotas. Os dados da pesquisa empírica permitiram-nos comprovar a existência de uma disposição para uma "leitura intensiva" de caráter sentimental nos temas e nas práticas de leitura das meninas, que parece ser perceptível desde as séries iniciais. Essas práticas e preferências, reforçadas pelas influências sociais, familiares e escolares, tendem a suscitar uma inclinação preferencial por literatura ficcional em detrimento das atitudes positivas com relação a edições de ciência, tecnologia e conhecimentos) gerais. Considerando o sucesso de livros especialmente dirigidos a crianças e adolescentes (infanto-juvenis) como um típico fenômeno de Terceiro Mundo - assim como o grande número de temas sentimentaisoferecido a e desejado por garotas - podemos observar, como resultado, os danos e distorções de longo prazo na educação das mulheres e conseqüentemente em sua vida profissional e social. Propõe-se que a escola mesma possa tornar-se uma instância critica em que estudantes, professores e pesquisadores possam colaborar a fim de criar currículos de leitura que ofereçam aos estudantes, desde o início da escolaridade, temas de leitura equilibrados entre o literário e o científico, ao lado dos mais diversificados assuntos, de modo a não favorecer a reprodução dos estereótipos e esquemas mentais preconceituosos formados pelo habitus
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.12.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CORRÊA, Maria Celeste Arantes; BELINTANE, Claudemir. Preferências de leitura de meninos e meninas na escola implicam o papel da mulher, professora e leitora. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Corrêa, M. C. A., & Belintane, C. (2004). Preferências de leitura de meninos e meninas na escola implicam o papel da mulher, professora e leitora. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Corrêa MCA, Belintane C. Preferências de leitura de meninos e meninas na escola implicam o papel da mulher, professora e leitora. 2004 ;
    • Vancouver

      Corrêa MCA, Belintane C. Preferências de leitura de meninos e meninas na escola implicam o papel da mulher, professora e leitora. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021