Exportar registro bibliográfico

Validação da escala de Brusini para classificação dos resultados da perimetria de dupla frequência em pacientes glaucomatosos (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: NOVELLO, MARCELO BRILLINGER - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: ROO
  • Subjects: GLAUCOMA; PERIMETRIA (ESTUDO;AVALIAÇÃO); OFTALMOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: na metodologia. O objetivo deste estudo é validar uma escala de classificação de estágios da doença, proposta por Brusini, até então não utilizada, de fácil aplicabilidade e compreensão. Foram estudados 222 indivíduos, divididos em grupo controle (n = 83), grupo de suspeitos (n = 56) e grupo de pacientes glaucomatosos (n= 83), que se submeteram a perimetria acromática e de dupla freqüência. Os resultados obtidos no grupo de glaucomatosos foram ... classificados, para a perimetria acromática, de acordo com os critérios de Johnson e Samuels, enquanto os da perimetria de dupla freqüência foram divididos de acordo com os critérios da FDT Staging System. Obtivemos uma sensibilidade de 95% e uma especificidade de 78,9%, com 16% de falsos positivo e 5,6% de falsos negativo. A concordância entre os dois métodos foi avaliada pelo Cohen Kappa, tendo sido encontrado 'kappa'=0,62 ('p IND. valor' <0,01), o que corresponde a uma concordância muito boa entre os testes. Desta forma, conclui-se que a escala de classificação da perimetria de dupla freqüência proposta por Brusini é um método muito bom para se classificar os estágios evolutivos do glaucoma na tecnologia de dupla freqüênciaO fenômeno de dupla freqüência tem sido utilizado como estímulo de células ganglionares e como método de detecção de alterações na via óptica. Sabe-se que os axônios retinianos que enviam suas fibras para o corpo geniculado lateral são divididos em células de grande e pequeno diâmetro (magnocelulares e parvocelulares, respectivamente). A perimetria acromática e a de ondas curtas estimulam respostas das células de menor diâmetro, enquanto a perimetria de dupla freqüência utiliza preferencialmente a via magnocelular, especialmente o seu subsítio My (de resposta não-linear). Advoga-se que o subsítio My, que responde por 3% a 5% de todas as células ganglionares da retina, seria lesado precocemente em pacientes com glaucoma, daí a importância em se determinar a validade da perimetria de dupla freqüência no diagnóstico e classificação das alterações visuais funcionais. A perimetria de dupla freqüência, utilizada principalmente como método de triagem, tem-se mostrado útil na detecção de alterações glaucomatosas e com boa sensibilidade e especificidade quando comparada com a perimetria acromática e mesmo com a de ondas curtas, segundo diversos estudos realizados. Ademais, tem a importante característica de ser um exame rápido e de fácil aplicação, não necessitando de correções ópticas até sete graus de dioptria. Entretanto, não há um consenso sobre a classificação dos estágios do dano glaucomatoso, e os poucos autores que demonstraram seus resultados divergem muito
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.11.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOVELLO, Marcelo Brillinger; LAURETTI FILHO, Argemiro. Validação da escala de Brusini para classificação dos resultados da perimetria de dupla frequência em pacientes glaucomatosos. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Novello, M. B., & Lauretti Filho, A. (2004). Validação da escala de Brusini para classificação dos resultados da perimetria de dupla frequência em pacientes glaucomatosos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Novello MB, Lauretti Filho A. Validação da escala de Brusini para classificação dos resultados da perimetria de dupla frequência em pacientes glaucomatosos. 2004 ;
    • Vancouver

      Novello MB, Lauretti Filho A. Validação da escala de Brusini para classificação dos resultados da perimetria de dupla frequência em pacientes glaucomatosos. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021