Exportar registro bibliográfico

Estudo da intervenção fisioterapêutica em pacientes na fase aguda do infarto do miocárdio: resposta da freqüência cardíaca nos domínios do tempo e da freqüência, e da pressão arterial sistêmica (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: PAPA, VALÉRIA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Assunto: FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo teve como objetivo avaliar em pacientes com IAM, na fase aguda do evento, a resposta da FC e da sua variabilidade (VFC), nos domínios do tempo (DT) e da freqüência (DF) e da pressão arterial sistêmica (PA), no 6’graus’ dia do protocolo de intervenção fisioterapêutica na Fase I da Reabilitação Cardiovascular (RCV). Foram estudados 22 pacientes do sexo masculino com idade média de 55 ‘+ OU -‘ 8 anos, com diagnóstico de IAM, sendo 16 pacientes com FEVE ‘> OU =’ 50% (FEVE N), e 6 com FEVE< 50% (FEVE D); valores estes obtidos a partir da técnica da Doppler-ecocardiografia, através da técnica de Simpson. Os pacientes foram submetidos a um programa de fisioterapia cardiovascular durante o período de internação, o qual teve duração média de 9 ‘+ OU -‘ 3 dias. O presente estudo se estendeu por sete dias, sendo os dois primeiros dias realizados na Unidade Coronariana e do 3’graus’ ao 7’graus’ dia na enfermaria do Hospital HCFMRP-USP. Foram analisados os dados coletados no 6’graus’ dia de intervenção fisioterapêutica; e o protocolo experimental era constituído de quatro etapas: 1) condição de repouso supino e repouso sentado; 2) manobra para acentuar a arritmia sinusal respiratória; 3) exercício físico dinâmico e 4) recuperação na posição sentada. A FC foi monitorizada e os intervalos R-R (iRR) registrados pelo sistema Polar modelo S 810, que possui função de monitor, detector e gravador dos intervalos R-R, durante todas as etapas. Foram registrados, em temporeal, 900 s nas etapas 1,3 e 4 e 240 s durante a etapa 2. A VFC foi obtida no DT, a partir dos índices RMSSD e RMSM dos intervalos R-R (ms), através de modelos matemáticos, por meio de rotina específica, e no DF, por meio da obtenção da densidade do espectro de potência, utilizando-se modelos autorregressivos, obtendo-se os componentes espectrais de alta freqüência (AF) e baixa freqüência (BF), expressos em unidades normalizadas (Afn e BFn), ... bem como a razão BF/AF. Ainda foram calculados os índices e os deltas da manobra de ASR e as variações da FC e PA entre as condições de repouso sentado, exercício físico dinâmico e recuperação sentado. A intervenção fisioterapêutica na fase I da RCV não causou nos sete dias estudados qualquer intercorrência médica. Os resultados na condição de repouso, quando avaliado o grupo todo, documentou correlação significante entre FEVE e os índices de variabilidade no DT-RMSSD e RMSM. Na condição supina em repouso, o grupo FEVE D apresentou menores valores nos índices de VFC nos DT (RMSSD e RMSM), e no DF documentou-se redução da magnitude do componente AF e aumento da magnitude do componente BF e da razão BF/AF (p<0,05), achados que indicam predominância da modulação simpática em relação a parassimpática, no grupo FEVE D e o inverso no FEVE N. A mudança postural não exerceu efeito significativo sobre a dinâmica circulatória e a modulação autonômica dos dois grupos estudados (p>0,05); tanto os pacientes com FEVE Ncomo os com FEVE D não mostraram modificações no balanço autonômico, sugerindo que a presença de cardiopatia e/ou drogas usadas no tratamento do IAM, tenham causado modificações específicas da modulação do sistema nervoso autônomo do coração. A posição supina em repouso, comparativamente à posição sentada em repouso e após exercício, foi a única em que os índices de VFC no DF foram capazes de discriminar o subgrupo FEVE D do grupo FEVE N. O índice RMSSD dos intervalos R-R, no DT e o índice na faixa 0,04 - 0,15 Hz no DF, mostraram-se mais sensíveis para detectar maior VFC durante a execução da manobra de ASR, quando comparados com a condição de repouso (p<0,05), no nosso grupo estudado, entretanto os valores destes índices, nos dois sub-grupos estudados, não foram estatisticamente significantes (p>0,05), sugerindo que as alterações da modulação vagal documentadas em repouso, posição supina, ... no grupo FEVE D, sejam funcionais. No exercício físico dinâmico documentou-se redução na magnitude dos iR-R e dos índices de variabilidade no domínio do tempo (RMSSD e RMSM) (p<0,05). A pressão arterial sistólica e diastólica, bem como o duplo produto também se elevaram (p<0,05). Quando são analisados os dois grupos, documentou-se menor incremento da FC no grupo FEVE D do que no grupo com FEVE N, o que sugere menor liberação vagal no grupo FEVE D, comparativamente ao grupo com FEVE N. Apesar de ocorrer diminuição da VFC no domínio do tempo em ambosos grupos durante o exercício físico as diferenças foram significantes (p<0,05) apenas no grupo com FEVE N, o que reforça a ocorrência de disfunção vagal grave no grupo com FEVE D. Apesar de o duplo produto ter aumentado significativamente nos dois grupos (p<0,05), naquele com FEVE N a maior contribuição se deu às custas do aumento da FC, do que da pressão sistólica; o inverso ocorreu no grupo com FEVE D, sendo a maior contribuição da pressão arterial sistólica do que da freqüência cardíaca. No presente trabalho os índices de VFC no domínio do tempo caracterizaram melhor as diferenças entre os dois sub-grupos com FEVE diferentes do que os índices no domínio da freqüência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.12.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAPA, Valéria; GALLO JÚNIOR, Lourenço. Estudo da intervenção fisioterapêutica em pacientes na fase aguda do infarto do miocárdio: resposta da freqüência cardíaca nos domínios do tempo e da freqüência, e da pressão arterial sistêmica. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Papa, V., & Gallo Júnior, L. (2004). Estudo da intervenção fisioterapêutica em pacientes na fase aguda do infarto do miocárdio: resposta da freqüência cardíaca nos domínios do tempo e da freqüência, e da pressão arterial sistêmica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Papa V, Gallo Júnior L. Estudo da intervenção fisioterapêutica em pacientes na fase aguda do infarto do miocárdio: resposta da freqüência cardíaca nos domínios do tempo e da freqüência, e da pressão arterial sistêmica. 2004 ;
    • Vancouver

      Papa V, Gallo Júnior L. Estudo da intervenção fisioterapêutica em pacientes na fase aguda do infarto do miocárdio: resposta da freqüência cardíaca nos domínios do tempo e da freqüência, e da pressão arterial sistêmica. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021