Exportar registro bibliográfico

Variabilidade intrasazonal no Brasil e Sul da América do Sul (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: FERRAZ, SIMONE EROTILDES TELEGINSKI - IAG
  • Unidade: IAG
  • Sigla do Departamento: ACA
  • Assunto: PRECIPITAÇÃO ATMOSFÉRICA
  • Language: Português
  • Abstract: Esse trabalho analisou a variabilidade da precipitação de verão na escala intrasazonal na América do Sul. Para tal, foi realizado um estudo observacional que permitiu detectar os principais padrões espaciais e temporais que regem a precipitação de verão. Além disso, uma análise dinâmica que pudesse sugerir a origem desses padrões foi realizada. Notou-se que os diversos períodos das oscilações intrasazonais tem preferência geográfica. A banda 10/20 dias tem maior contribuição do sul ao noroeste da América do Sul, passando pelo Centro-Oeste do Brasil. A banda 20/30 dias apresenta maior contribuição na região da ZCAS, até o norte do Brasil e a banda 30/70 dias no Nordeste e Centro-Sudeste do Brasil. Dois modos foram recorrentes em todas as bandas na análise de componentes principais (ACP) sem rotação e apresentaram características oscilatórias nas bandas 20/30 e 30/70 dias e de propagação na banda 10/20 dias. A ACP rotacionada apresentou quatro modos que estavam presentes em todas as bandas. Os modos foram denominados "Modo Nordeste-Sul (NES)", "Modo ZCAS-Norte (ZCN)", "Modo ZCAS-Sul (ZCS)" e Modo Sul (SUL)". O modo NES, que afeta a precipitação no Centro-Leste Brasileiro, apresentou variabilidade nas bandas 20/30 e 30/70 dias. O modo ZCN que afeta principalmente a ZCAS na sua posição climatológica tem variabilidade na da banda 30/70 dias. O modo ZCS responsável pela ZCAS a sul desta posição estaria mais sujeito à variabilidade de 20/30 dias. O Modo Sul, apresentavariabilidade predominantes de 10 a 20 dias. As composições atmosféricas para eventos extremos mostraram os seguintes aspectos. Na banda 10/20 dias as anomalias de ROLE propagam-se nos subtrópicos para leste nos modos NES e SUL. No modo ZCN as anomalias aparecem e desaparecem sem propagação notável. No modo NES as anomalias de circulação parecem originar-se de um trem de ondas que surge em latitudes médias do Pacífico e se propaga para os subtrópicos ) da América do Sul. No modo SUL, há dois trens de ondas, um nos subtrópicos e outro em altas latitudes. Junto da América do Sul, eles se fundem e se dirigem para o nordeste, produzindo anomalia ciclônica a sudoeste da anomalia de ROLE observada no Sul do Brasil. No modo ZCN parece haver a configuração de um trem de ondas originário do Pacífico Central. Na banda 20/30 dias as anomalias de ROLE não apresentam, de maneira geral, propagação. Na banda 30/70 dias, há um trem de ondas em latitudes mais altas, talvez provenientes do Pacífico Oeste/Austrália/Índico e outro do Pacífico Central. Na banda 10/100 dias, o modo NES, mostra fortes anomalias negativas na região da ZCAS, mas não se observam anomalias de mesmo sinal da região da ZCPS. Isto sugere que a superposição da variabilidade na banda 30/70 com a da 20/30 dias provoca esse enfraquecimento das anomalias na região da ZCPS. O modo SUL na banda 10/100 dias apresenta um dipolo das anomalias de ROLE entre o Sul e o Sudeste do Brasil. O modo ZCN na mesma bandamostra intensas anomalias negativas de ROLE na região próxima a ZCAS e anomalias positivas sobre o norte do Nordeste. O vetor E mostrou que nas bandas 10/20 e 20/30 dias sua intensidade é maior nas regiões subtropicais e de médias latitudes do que na região tropical. Na banda 30/70 dias também é intenso na região tropical. A banda 10/20 dias apresenta na região subtropical predominância de vetores direcionados para norte/noroeste. Em mais altas latitudes a predominância é para leste, mostrando que a propagação de ondas para leste é mais rápida nesta região, especialmente entre a Austrália e América do Sul, com velocidade maior que a do fluxo básico. Sobre a América do Sul e o Atlântico há forte propagação para o norte. Na banda 20/30 dias, o campo de E é muito mais fraco, com menor propagação para o norte sobre o Pacífico, mas ainda forte sobre o setor da América do Sul. Na banda 30/70 dias ...
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.09.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERRAZ, Simone Erotildes Teleginski; GRIMM, Alice Marlene. Variabilidade intrasazonal no Brasil e Sul da América do Sul. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Ferraz, S. E. T., & Grimm, A. M. (2004). Variabilidade intrasazonal no Brasil e Sul da América do Sul. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Ferraz SET, Grimm AM. Variabilidade intrasazonal no Brasil e Sul da América do Sul. 2004 ;
    • Vancouver

      Ferraz SET, Grimm AM. Variabilidade intrasazonal no Brasil e Sul da América do Sul. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021