Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento de uma reação em cadeia pela polimerase (PCR) para detecção de Brucella spp. em amostras de sangue de cães naturalmente infectados (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: VIEIRA, NANCI DO ROSÁRIO - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VPS
  • Subjects: BRUCELOSE ANIMAL; REAÇÃO EM CADEIA POR POLIMERASE; CÃES
  • Language: Português
  • Abstract: Foram desenhados três pares de primers, sendo um deles dirigido ao gene que codifica uma proteína periplasmática da Brucella (BP26) e dois outros dirigidos para a região interespaçadora entre os gene 16S e 23S do RNA ribossômico (ITS) de Brucella. Com os primers acima, foram padronizadas três PCRs, potencialmente capazes de detectar qualquer espécie de Brucella e denominadas PCR-ITS1, PCR-ITS2 e PCR-BP26. Soluções de DNA de sangue de cão livre de Brucella foram contaminadas com quantidades decrescentes de DNA de B. canis (RM6/66) e, então, submetidas às PCRs descritas anteriormente. Para a avaliação das PCRs quanto à capacidade de detecção de Brucella spp. em sangue de animais naturalmente infectados, foram utilizadas 75 amostras de sangue de cães provenientes de canis comerciais onde foram registrados casos clínicos sugestivos de infecção por Brucella. As 75 amostras de sangue de cães foram colhidas com anti-coagulante (citrato de sódio) por punção da veia jugular. As amostras foram separadas em duas alíquotas, uma das quais (2 ml) foi submetida ao isolamento e identificação bacteriológica e a outra alíquota (1ml), às PCRs. O DNA total das amostras de sangue foi extraído por método baseado em digestão com proteinase K, SDS e CTAB seguido de purificação com fenol e clorofórmio. Considerando os resultados da PCR de melhor desempenho (PCR-ITS1), entre as 35 amostras positivas pelo isolamento bacteriano, 30 (85,71%) foram positivas pela técnica de PCR, enquanto entre as 40amostras negativas pelo cultivo bacteriológico, 11 (27,5%) foram positivas pela PCR. A PCR-ITS1 foi capaz de detectar um mínimo de 3,78fg de DNA bacteriano misturado a 450ng de DNA de cão, o que representa, teoricamente, a massa genômica de 1,26 bactérias. Pela aparente superior capacidade de classificar animais positivos que o método de cultura bacteriológica, a PCR-ITS1 parece ser uma técnica promissora para o diagnóstico direto da brucelose em cães
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.09.2004
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VIEIRA, Nanci do Rosário; SOARES, Rodrigo Martins. Desenvolvimento de uma reação em cadeia pela polimerase (PCR) para detecção de Brucella spp. em amostras de sangue de cães naturalmente infectados. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10134/tde-16062005-103008/ >.
    • APA

      Vieira, N. do R., & Soares, R. M. (2004). Desenvolvimento de uma reação em cadeia pela polimerase (PCR) para detecção de Brucella spp. em amostras de sangue de cães naturalmente infectados. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10134/tde-16062005-103008/
    • NLM

      Vieira N do R, Soares RM. Desenvolvimento de uma reação em cadeia pela polimerase (PCR) para detecção de Brucella spp. em amostras de sangue de cães naturalmente infectados [Internet]. 2004 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10134/tde-16062005-103008/
    • Vancouver

      Vieira N do R, Soares RM. Desenvolvimento de uma reação em cadeia pela polimerase (PCR) para detecção de Brucella spp. em amostras de sangue de cães naturalmente infectados [Internet]. 2004 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10134/tde-16062005-103008/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021