Exportar registro bibliográfico

Efeito da descongestão nasal e do ato de assoar o nariz nas medidas de nasalância (2004)

  • Author:
  • USP affiliated author: KROOK, MARIA INES PEGORARO - FOB
  • School: FOB
  • Sigla do Departamento: BAF
  • Subjects: FONOAUDIOLOGIA; NARIZ (SISTEMA RESPIRATÓRIO)
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo deste estudo foi o de investigar o efeito da descongestào nasal e do ato de assoar o nariz, nas medidas de nasalância, em um grupo de 50 indivíduos portadores de fissura de lábio e/ou palato já operados, com idades entre 5 e 40 anos (média = 18 anos. DP = 9 anos) e em um grupo de 50 indivíduos não fissurados, com idades entre 5 e 53 anos (média = 26 anos, DP = 10 anos). Todos os indivíduos foram submetidos a avaliação perceptivoauditiva da ressonância de fala, quanto a presença e a ausência de hipernasalidade e de hiponasalidade. A avaliação nasométrica para determinação da nasalância foi realizada nos indivíduos de ambos os grupos, durante a emissão das frases: "Moro na montanha" (frase nasal), "A babá é boa' (frase orall) e "Lili olha a arara" (frase oral2). As medidas de nasalância foram obtidas em três condições: Condição 1: antes de assoar o nariz e de aplicar um vasoconstritor nasal tópico; Condição 2: imediatamente após o ato de assoar o nariz, e Condição 3: 15 minutos após a administração de um vasoconstritor nasal tópico. Os resultados demonstraram que: 1) tanto os índices de sensibilidade quanto de especificidade do nasômetro melhoraram após a descongestão da mucosa nasal, 2) a sensibilidade do nasômetro em identificar corretamente a presença da hipernasalidade foi melhor na emissão da frase oral2 do que da frase oral1; 3) os valores de nasalância foram significativamente maiores apenas após a descongestão da mucosa nasal para ambos os grupos, nãohavendo, portanto, diferença entre as medidas obtidas antes a após o ato de assoar o nariz: 4) as medidas de nasalância do grupo com fissura foram significativamente maiores do que as do grupo sem fissura, para a emissão das frases oral1 e oral2, mas não para a frase nasal: 5) não houve diferença significativa nas medidas de nasalância decorrentes das diferentes idades ou do gênero dos indivíduos de ambos os grupos. ) Tais resultados levam-nos a sugerir que: 1) a descongestão da mucosa nasal, por meio de vasoconstritores tópicos, deveria fazer parte dos protocolos de nasometria para que qualquer assimetria residual não atribuída a uma causa estrutural fosse eliminada; 2) fosse investigado o uso de vasoconstritores (tanto tópicos como orais) no levantamento da história do paciente; 3) em pesquisas futuras, fossem controladas quaisquer variáveis que possam interferir nas medidas de nasalância
  • Imprenta:
    • Place of publication: Bauru
    • Date published: 2004
  • Data da defesa: 27.05.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEGORARO-KROOK, Maria Inês. Efeito da descongestão nasal e do ato de assoar o nariz nas medidas de nasalância. 2004.Universidade de São Paulo, Bauru, 2004.
    • APA

      Pegoraro-Krook, M. I. (2004). Efeito da descongestão nasal e do ato de assoar o nariz nas medidas de nasalância. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Pegoraro-Krook MI. Efeito da descongestão nasal e do ato de assoar o nariz nas medidas de nasalância. 2004 ;
    • Vancouver

      Pegoraro-Krook MI. Efeito da descongestão nasal e do ato de assoar o nariz nas medidas de nasalância. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2022