Exportar registro bibliográfico

Epilepsias do córtex cerebral posterior fármaco-resistentes características clínicas, neurofisiológicas e resultados cirúrgicos (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DALMAGRO, CHARLES LUIZ - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: EPILEPSIA; CIRURGIA (RESULTADOS)
  • Language: Português
  • Abstract: Analisar os dados de investigação dos pacientes referidos ao tratamento cirúrgico comparando as características dos que foram submetidos à cirurgia com aqueles que encontram em tratamento clínico medicamentoso e analisar possíveis variáveis relacionadas com os resultados no período pós-operatório. Retrospectivamente foram analisados 85 pacientes, comparando os achados daqueles que foram submetidos ao tratamento cirúrgico e os que ainda não foram submetidos à cirurgia. No grupo submetido ao tratamento cirúrgico, as variáveis clínicas foram analisadas objetivando detectar os possíveis fatores que pudessem ter relação com o resultado cirúrgico. Resultados: Os fatores de risco associados com a epilepsia do córtex cerebral posterior (ECP), foram gliose (35,2%), malformações do desenvolvimento cortical (MDC) (32,9%), tumores (8,2%), trauma craniano (3,5%), síndrome de Sturge Weber (4,7%), infecção do sistema nervoso central (2,3%), malformação vascular (3,5%), história família para epilepsia (3,5%), retardo mental (2,3%) e doença degenerativa (1,1 %). As etiologias das ECP não tiveram diferença qualitativamente quando comparados com as dos países desenvolvidos. O tratamento cirúrgico foi efetivo em promover o controle total das crises em 31 pacientes (67%). Uma alta freqüência de crises (diária ou mais que diárias) ou alteração nos estudos de ressonância magnética (RM) foram fatores preditivos de uma intervenção cirúrgica mais precoce. Não houve diferença entre ospacientes que foram submetidos à cirurgia e aqueles que estão em tratamento medicamentoso, quando comparamos os parâmetros clínicos ou exames auxiliares. Os pacientes que tiveram menos tempo de epilepsia tiveram chances significativas de ficar livre das crises no pós-operatório. Conclusões: O tratamento cirúrgico foi efetivo para o tratamento das ECP fármaco-resistentes. Os pacientes que tiveram freqüência alta de crises ou pacientes ... com anormalidades na RM tiveram chance maiores de serem submetidos a cirurgia mais precocemente. As etiologias não diferiram entre o Brasil e os países desenvolvidos. Quando consideramos as variáveis pré-operatórias, menor tempo de doença foi a única variável independente que pode predizer resultado cirúrgico favorável
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.09.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DALMAGRO, Charles Luíz; SAKAMOTO, Américo Ceiki. Epilepsias do córtex cerebral posterior fármaco-resistentes características clínicas, neurofisiológicas e resultados cirúrgicos. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Dalmagro, C. L., & Sakamoto, A. C. (2004). Epilepsias do córtex cerebral posterior fármaco-resistentes características clínicas, neurofisiológicas e resultados cirúrgicos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Dalmagro CL, Sakamoto AC. Epilepsias do córtex cerebral posterior fármaco-resistentes características clínicas, neurofisiológicas e resultados cirúrgicos. 2004 ;
    • Vancouver

      Dalmagro CL, Sakamoto AC. Epilepsias do córtex cerebral posterior fármaco-resistentes características clínicas, neurofisiológicas e resultados cirúrgicos. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019