Exportar registro bibliográfico

Tempo subjetivo e música: fatores afetivos na música modal influenciam a estimação subjetiva do tempo (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: RAMOS, DANILO - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: MÚSICA (INFLUÊNCIAS); ESTIMULAÇÃO PERCEPTIVA; PSICOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: A estimação subjetiva de tempo tem sido estudada baseando-se na quantidade de mudanças percebidas pelo sujeito no decorrer de um evento. A música é um padrão de características perceptivas. Pode, portanto, ser o evento adequado para a realização de estudos sobre a estimação do tempo subjetivo. O presente estudo investigou o processamento cognitivo-temporal de sujeitos humanos adultos em face de trechos musicais de estilo modal. A música modal está baseada em 7 escalas musicais que, através de diversas organizações intervalares, geram sons distintos, podendo evocar estados afetivos diferentes no ouvinte. O objetivo deste estudo foi verificar se diferentes contextos harmônicos musicais modais, expressando diferentes estados afetivos, influenciam na estimação subjetiva do tempo. Foram utilizados os Modos Jônio (de caráter maior, consonante ao ouvido ocidental), Eólio (de caráter menor, consonante) e Lócrio (de caráter menor, dissonante ao ouvido ocidental). O equipamento consistia de um computador com o programa wave surfer para registro das estimações temporais, um teclado de computador, um fone de ouvido, caneta e escalas de diferencial semântico referentes aos estados afetivos analisados: alegria, familiaridade, tensão e ativação. Estas locuções foram selecionadas tomando-se por base duas grandezas envolvidas no processo de estimação temporal: arousal e valência afetiva. 120 estudantes universitários, de ambos os sexos e não músicos, foram divididos em três grupos,relacionados a cada estímulo musical empregado (Jônio, Eólio e Lócrio). Cada sujeito foi submetido individualmente às seguintes tarefas: audição do estímulo sonoro, estimação temporal física do estímulo, preenchimento de escalas de diferencial semântico e estimação temporal verbal do estímulo. Para a análise dos dados, aplicou-se o teste estatístico ANOVA. Os resultados indicaram superestimação temporal por reprodução para o estímulo Lócrio em ... relação aos estímulos Eólio e Jônio, respectivamente. Houve superestimação verbal para todos os estímulos em relação às suas durações reais (64 segundos). Estas medidas, da maior para a menor, seguiram a mesma ordem em ambos os tipos de estimações (por reprodução e verbal): Lócrio / Eólio / Jônio. O estímulo Lócrio foi considerado como o menos alegre. O estudo também mostrou que o grau de tensão julgado a um estímulo modal é inversamente proporcional ao grau de ativação referente a este modo. A discussão foi construída à partir do modelo atencional (Hicks, 1978). Pôde-se concluir que foi atribuído um mecanismo de atenção dirigida aos estímulos referentes aos modos Jônio e Eólio (com baixo grau de arousal) e um mecanismo de emoção dirigi da referente ao estímulo Lócrio (com alto grau de arousal)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.07.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RAMOS, Danilo; BUENO, José Lino Oliveira. Tempo subjetivo e música: fatores afetivos na música modal influenciam a estimação subjetiva do tempo. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Ramos, D., & Bueno, J. L. O. (2004). Tempo subjetivo e música: fatores afetivos na música modal influenciam a estimação subjetiva do tempo. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Ramos D, Bueno JLO. Tempo subjetivo e música: fatores afetivos na música modal influenciam a estimação subjetiva do tempo. 2004 ;
    • Vancouver

      Ramos D, Bueno JLO. Tempo subjetivo e música: fatores afetivos na música modal influenciam a estimação subjetiva do tempo. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021