Exportar registro bibliográfico

O imunofenótipo leucocitário no câncer de mama e sua associação com indicadores prognósticos (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: MACCHETTI, ALEXANDRE HENRIQUE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGO
  • Subjects: NEOPLASIAS MAMÁRIAS; CITOMETRIA DE FLUXO; GINECOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivos: com a finalidade de analisar a composição do infiltrado leucocitário do câncer de mama utilizamos a imunofenotipagem das suas subpopulações, e correlacionamos esta composição com alguns indicadores prognósticos: tamanho e grau histológico tumoral, e acometimento nodal axilar por metástase. Pacientes e Métodos: 35 pacientes do Ambulatório de Mastologia do HC- FMRP-USP com tumoração mamária palpável compatível com carcinoma mamário tiveram amostra tumoral obtida a partir da biópsia incisional ou excisional de rotina do ambulatório. A amostra tumoral foi submetida a digestão por solução enzimática para extração dos leucócitos intratumorais, e a seguir o imunofenótipo das subpopulações leucocitárias analisado por citometria de fluxo com dupla marcação ('CD IND. 3', 'CD IND. 4', 'CO IND. 8', 'CD IND. 19', 'CD IND. 14' e 'CD IND. 16/56'). Os resultados foram correlacionados com indicadores prognósticos clínico-patológicos avaliados em nosso serviço. Resultados: as células predominantes detectadas no citômetro de fluxo foram as células T e macrófagos. Em 60% dos casos, o número de linfócitos T 'CD8 POT.+' foi maior do que o número de linfócitos 'CD4 POT. +'. Baixos percentuais de linfócitos B e células Natural Killer foram observados em todos os tumores. Não houve correlação entre o grau histológico do tumor e os subtipos de leucócitos intratumorais. A infiltração por linfócitos T esteve diretamente correlacionada com o tamanho tumoral eenvolvimento nodal em tumores menores que 5 cm, outras subpopulações não apresentaram qualquer correlação. Não houve correlação da razão CD4/CD8>1 com acometimento nodal. O percentual de linfócitos T foi maior do que o de macrófagos em tumores menores que 5 cm e com acometimento axilar. O número de linfonodos axilares com metástase esteve diretamente correlacionado com o percentual de células T no infiltrado leucocitário. Conclusões: Embora considerável ... diversidade de infiltrados leucocitários tenha sido observada, o estudo mostrou a associação do infiltrado leucocitário com um percentual de linfócitos T maior nos tumores em estado inicial, menores que 5 cm, e dentro destes tumores, detectamos associação com metástase axilar. Os dados do estudo sugerem que o infiltrado por linfócitos T possa ter participação na disseminação das células tumorais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.05.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MACCHETTI, Alexandre Henrique; MARANA, Heitor Ricardo Cosiski. O imunofenótipo leucocitário no câncer de mama e sua associação com indicadores prognósticos. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Macchetti, A. H., & Marana, H. R. C. (2004). O imunofenótipo leucocitário no câncer de mama e sua associação com indicadores prognósticos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Macchetti AH, Marana HRC. O imunofenótipo leucocitário no câncer de mama e sua associação com indicadores prognósticos. 2004 ;
    • Vancouver

      Macchetti AH, Marana HRC. O imunofenótipo leucocitário no câncer de mama e sua associação com indicadores prognósticos. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021