Exportar registro bibliográfico

Influência do tamanho da célula e da idade do favo de cria Apis mellifera sobre a biologia das abelhas africanizadas e sobre a infestação com o ácaro Varroa destructor (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: YAPALUCCI, GIANCARLO ANTONIO PICCIRILLO - FFCLRP
  • Unidades: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: ABELHAS (GENÉTICA); ENTOMOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho teve como objetivo: 1. Determinar o efeito de diferentes tamanhos de células de cria de operárias (favos novos construídos naturalmente por abelhas Africanizadas, favos novos tipo italiano e favos velhos) sobre a preferência de postura das rainhas Africanizadas, produção de cria, longevidade e período de desenvolvimento das abelhas operárias Africanizadas em colônias de abelhas (Apis mellifera); 2. Examinar a influência das células de operárias de menor tamanho do favo velho em relação às células novas construídas por abelhas Africanizadas, às células novas de operárias construídas em lâminas de cera tipo européia (italianas) e às células de operárias com um ciclo de cria emergida dessas células novas sobre a infestação e reprodução do ácaro Varroa destructor. O trabalho foi realizado no apiário experimental do Departamento de Genética da FMRP-USP em Ribeirão Preto, SP. Foram utilizadas 8 colônias de abelhas Africanizadas e os seguintes tipos de favos: favo africanizado novo (FAN), favo italiano novo (FIN), favo africanizado velho (FVE) com as paredes das células engrossadas pelo efeito de muitos ciclos de crias emergidas, favo africanizado novo com apenas um ciclo de cria de abelhas emergidas nessas células (FAUC) e favo italiano novo com apenas um ciclo de cria de abelhas emergidas nessas células (FIUC). Foram medidos o diâmetro da célula (DC) e a profundidade da célula (PC); o volume da célula (VC) foi calculado a partir do DC e da PC.Para verificar possíveis variações na infestação entre os favos estudados, investigamos os índices de infestação e a capacidade reprodutiva do ácaro nestes tipos de favos com diferentes células de crias de operárias e de diferentes idades. Do total de abelhas analisadas, as operárias do FVE foram as que apresentaram menor longevidade (19,2±10,6 dias), enquanto, que as longevidades das operárias dos favos novos foram superiores, sendo ... para o FAN de 26,6±11,8 dias e para o FIN de 24,7±11,2 dias. Comparando-se a longevidade média (dias) das operárias emergidas dos diferentes tipos de células de crias do FVE (diâmetro interno de 4,53±0,12 mm), FAN (4,85±0,136 mm) e FIN (5,14±0,126 mm), percebe-se que ocorre um acréscimo na longevidade das operárias à medida que o tamanho da célula aumenta. A comparação da longevidade das operárias entre os favos através da análise de variância, mostrou que ocorrem diferenças altamente significantes em nível de 1% de probabilidade entre os diferentes tipos de favos analisados (P=0,003). Nas diferentes células de operárias encontramos que o período de pré-operculação médio das células foi de 184,2±6,2 horas, 179,2±9,3 horas e 188,5±8,5 horas para os favos FVE, FAN e FIN, respectivamente. O período de pré-operculação médio das células não diferiu entre os diferentes tipos de favos estudados (P=0,077). Observou-se que o período de pós-operculação médio (PPO) das células construídas pelas operárias a partir dacera laminada (FIN) foi de 295,8±7,3 horas, sendo superior aos períodos das células de cria do FVE e do FAN de 293,9±5,8 horas e de 289,3±3,0 horas, respectivamente. Porém, o PPO da célula não diferiu significativamente entre os diferentes tipos de favos (P=0,197). Em todas as colônias estudadas, observou-se uma preferência acentuada da rainha Africanizada em iniciar a postura em células de cria menores do FVE e do FAN. Em média, favos de cria velhos e favos naturais (FAN) tiveram uma maior área de cria total e operculada e maior porcentagem de sobrevivência das crias. O peso da operária emergente foi maior quando desenvolvida no favo novo tipo italiano (FIN). A porcentagem média de infestação no FVE foi de 15,1±6,7% nas oito colônias analisadas. Verificamos no FAN uma infestação média menor, ficando abaixo de 8,0%; praticamente a metade do que foi observado ... no FVE. No FAUC, verificamos uma infestação média de 14,1±6,6% (variação de 7,0% a 23,0%), sendo praticamente o dobro em relação ao favo FAN. As porcentagens de infestação verificadas nos três diferentes tipos de favos (FVE, FAN e FAUC) diferiram estatisticamente entre si (X²=29,14, P<0,001). Neste primeiro experimento, encontramos maior número de fêmeas adultas do ácaro em células infestadas do FVE e do FAUC em comparação com o favo FAN. No segundo experimento, o índice médio de infestação no FVE foi de 25,5±5,6% nas oito colônias analisadas, variando de 15,0% a 30,0%. Verificamosno FIN uma infestação média menor de 13,0±3,3%; praticamente a metade do que foi observado no FVE. No FIUC, verificamos também uma infestação média maior de 26,4±7,7% (variação de 15,0% a 39,0%), sendo praticamente o dobro em relação ao favo FIN. As porcentagens de infestação por varroa verificados nestes três diferentes tipos de favos (FVE, FIN e FIUC) diferiram estatisticamente entre si (X²=52,85, P<0,001). Neste segundo experimento, também encontramos um maior número de fêmeas adultas do ácaro em células infestadas do FVE e do FIUC em comparação com o fava FIN. As células do FVE, FAUC e FIUC atraíram mais varro as em relação às células dos favas novos, apesar de que as células do FVE apresentam um diâmetro menor. Embora o tamanho da célula seja importante, característica inerente à larva, ao fava (componente químico) ou ao alimento nas células de crias poderiam ter uma importante influência de atração ao ácaro varroa
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.02.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      YAPALUCCI, Giancarlo Antônio Piccirillo; JONG, David de. Influência do tamanho da célula e da idade do favo de cria Apis mellifera sobre a biologia das abelhas africanizadas e sobre a infestação com o ácaro Varroa destructor. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Yapalucci, G. A. P., & Jong, D. de. (2004). Influência do tamanho da célula e da idade do favo de cria Apis mellifera sobre a biologia das abelhas africanizadas e sobre a infestação com o ácaro Varroa destructor. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Yapalucci GAP, Jong D de. Influência do tamanho da célula e da idade do favo de cria Apis mellifera sobre a biologia das abelhas africanizadas e sobre a infestação com o ácaro Varroa destructor. 2004 ;
    • Vancouver

      Yapalucci GAP, Jong D de. Influência do tamanho da célula e da idade do favo de cria Apis mellifera sobre a biologia das abelhas africanizadas e sobre a infestação com o ácaro Varroa destructor. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020