Exportar registro bibliográfico

Degradação da pectina crítica por complexos pectinolíticos excretados por leveduras Saccharomyces sp (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: OLIVEIRA, KAREN FERNANDA DE - BIOTECNOL
  • Unidade: BIOTECNOL
  • Subjects: SACCHAROMYCES; LEVEDURAS
  • Language: Português
  • Abstract: Isolados de leveduras Saccharomyces cerevisiae foram obtidos de mosto fermentado de melaço cítrico (Malavolta, 2000) e estudados quanto à excreção de atividade pectinolítica, tanto em meios contendo pectina quanto poligalacturonato. De um modo geral, galactose estimulou a excreção de atividade pectinolítica em meios contendo poligalacturonato (substrato), enquanto a glicose estimulou a excreção de atividade em meio contendo pectina. A excreção de atividade de liquefação do poligalacturonato foi dependente do grau de disponibilidade de oxigênio e do tipo de monossacarídeo presente no meio mínimo. Em meio mínimo líquido, a curva de tempo de excreção de atividade alcalina (ensaiada em pH 8,0) mostrou valores máximos de excreção de atividade pectinolítica na fase de crescimento celular, enquanto a curva de atividade pectinolítica ácida (ensaiada em pH 5,0) foi paralela à curva de crescimento celular tanto em meio mínimo quanto complexo. Apesar de não mostrar halo de excreção em meios solidificados, a levedura de panificação LTU-4 excretou atividade pectinolítica tanto ácida quanto alcalina. Assim, o tamanho dos halos de excreção de atividade pectinolítica em meio solidificado não foi, necessariamente, indicativo do grau de atividade celular excretada em meios líquido. Linhagens de levedura S. cerevísiae foram cultivadas em meios líquidos mínimo e complexo contendo pectina. A degradação enzimática da pectina de alta metoxilação foi detectada em sobrenadantesde cultura tanto em valores de pH ácido quanto pH alcalino, dependendo do meio e da linhagem de levedura. A atividade pectinolítica ácida, excretada em meio complexo, foi superior à atividade da pectinase alcalina excretada em meio mínimo, no qual o crescimento das leveduras foi bastante reduzido, mas a excreção de atividade pectinolítica foi bastante favorecida. A levedura de panificação LTU-4 mostrou dois picos bem definidos de atividades ácida e alcalina ) em meio líquido, sendo ambas as atividades inibidas tanto por EDTA quanto por cálcio. De um modo geral, os íons cálcio tiveram um efeito inibitório sobre as atividades pectinolíticas excretadas pelas outras três linhagens de levedura estudadas. Sendo assim, a presença de EDTA aumentou ou inibiu a atividade pectinolítica dependendo da linhagem e do meio de propagação. As temperaturas ótimas de reação variaram na faixa de 60ºC (levedura de panificação) até 85ºC (outras leveduras). A atividade pectínolítica presente no sobrenadante de um dos isolados pectinolíticos aumentou durante a pré-incubação a 70ºC tanto em ausência quanto em presença de cálcio
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.07.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Karen Fernanda; LALUCE, Cecília. Degradação da pectina crítica por complexos pectinolíticos excretados por leveduras Saccharomyces sp. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Oliveira, K. F., & Laluce, C. (2004). Degradação da pectina crítica por complexos pectinolíticos excretados por leveduras Saccharomyces sp. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Oliveira KF, Laluce C. Degradação da pectina crítica por complexos pectinolíticos excretados por leveduras Saccharomyces sp. 2004 ;
    • Vancouver

      Oliveira KF, Laluce C. Degradação da pectina crítica por complexos pectinolíticos excretados por leveduras Saccharomyces sp. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021