Exportar registro bibliográfico

A pontuação: regularidades e variações (2004)

  • Autor:
  • Autor USP: DAHLET, VERONIQUE - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLM
  • Assunto: ESCRITA (LINGUÍSTICA)
  • Language: Português
  • Abstract: Esse estudo procura analisar a pontuação em duas vertentes. A primeira diz respeito às regularidades que apareceram em etapas de reflexão e/ou análise, ao passo que a segunda considera as variações que, na verdade, constituem a mais representativa característica dos sinais de pontuação. Foi necessário, no entanto, retomar debates ou conceitos às vezes contraditórios, às vezes imprecisos, acerca da pontuação e dos domínios aferentes, no intuito de explicitar os princípios teóricos que iam nortear o estudo. Em seguida, fez-se necessário, igualmente, circunscrever o objeto do estudo. Tratou-se de propor uma definição da pontuação, da qual iam depender a delimitação do corpus dos sinais de pontuação e sua classificação em níveis: nível de palavra, de frase e de texto. Enfim, foram dadas as duas grandes funções da pontuação frasal e textual: a função seqüencial - que segmenta a linearidade da escrita - e a função enunciativa - que molda o discurso de outrem, bem como o de quem escreve. Tornou-se, então, sustentável a análise das regularidades. Essas regularidades, tais como foram formalizadas, foram observadas à luz das operações que subtendem a ocorrência dos sinais, que foram considerados entre si, como conjunto fechado, no intuito de se verificar quais combinações eram possíveis e por quê. Isso se revelou profícuo para mostrar a existência de um sistema de regulações na ordem de ocorrência. Tendo as regularidades combinatórias como pano de fundo, o estudo seconcentrou em seguida nas funções e operações da pontuação de palavra, de frase e de texto, tendo sido esses dois últimos níveis de início repartidos de acordo com suas funções principais, a seqüencial e a enunciativa. Nesse ponto é que intervêm as variações. Elas provêm da variação inerente à enunciação, dentro da qual foi frisada a intenção de comunicação pelo fato de ela moldar a relação entre os co-enunciadores, ) isto é, entre quem escreve e quem lê/interpreta. De fato, nossa hipótese de partida foi que a pontuação participa tanto da estruturação do escrito (vertente da legibilidade, via o sintático e o semântico) quanto da relação entre os atores da enunciação (vertente enunciativo-pragmática), se não mais. Ora, a relação operação-variação não é bi-unívoca, ou seja, uma operação desemboca geralmente em diversas variações de funções. Um primeiro parâmetro de variação diz respeito ao segmento verbal envolvido por tal sinal de pontuação considerado (por exemplo: os parênteses de palavra e os de frase compartilham a mesma operação, ao passo que a variação se mostrará nos valores -semânticos e/ou discursivos - dos mesmos); um, segundo parâmetro de variação diz respeito ao lugar de ocorrência de um certo sinal de pontuação (por exemplo: as reticências no inicio, no meio ou no fim de uma frase). Mas as variações dizem também respeito ao conjunto de condições para que tal sinal de pontuação ocorra (por exemplo: quais determinações vão chamar a ocorrência daalínea, ou a ocorrência do ponto?). Enfim, depreendeu-se um outro campo de variações, mediante a distinção entre cotexto monologal e cotexto dialogal. Essa distinção revelou-se pertinente quando se tratou de analisar vários sinais de enunciação, na medida em que estes desenvolvem uma função totalmente diferente quando em cotexto monologal ou dialogal (por exemplo, o ponto de interrogação, o ponto de exclamação e as reticências desenvolvem percursos distintos dependendo do cotexto). A partir da distinção entre os níveis de pontuação e das duas funções principais estabelecidas - função seqüencial e função enunciativa -, a última parte do estudo retoma o todo no intuito de avaliar ) até que ponto o parâmetro enunciativo-pragmático perpassa o conjunto das pontuações de palavra e de seqüência. Baseando-se nos resultados que demonstraram, em ultima instância, poucos sinais são submissos à regras normativas - vale dizer, regras que possam ser enunciadas de antemão, independentemente de qualquer determinação enunciativa factual -, o estudo se encerra, a título de abertura e de amostra do que se pode analisar junto com a pontuação, com a análise da conjunção E, cuja variação semântica ocorre, entre outras determinações, em função do sinal a ela contíguo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.08.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DAHLET, Véronique Marie Braun. A pontuação: regularidades e variações. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Dahlet, V. M. B. (2004). A pontuação: regularidades e variações. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Dahlet VMB. A pontuação: regularidades e variações. 2004 ;
    • Vancouver

      Dahlet VMB. A pontuação: regularidades e variações. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021