Exportar registro bibliográfico

Comportamento organogenético de meristemas caulinares de Dendrobium Second Love (Orchidaceae) in vitro (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: FERREIRA, WAGNER DE MELO - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: ORCHIDACEAE; HIBRIDAÇÃO VEGETAL
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho foi o primeiro a abordar aspectos relacionados a multiplicação e desenvolvimento in vitro da orquídea Dendrobium Second Love, um dos vários híbridos do gênero Dendrobium, que tem considerável importância econômica em vários países incluindo o Brasil. Foram realizados estudos com o objetivo de estabelecer procedimentos adequados para a micropropagação desse híbrido, utilizando-se gemas caulinares como explantes, bem como para investigar os efeitos de diferentes meios de cultura, citocininas e fontes de carboidratos no desenvolvimento dos brotos oriundos desse método de propagação. Estudou-se, também, a possibilidade da micropopagação de Dendrobium Second Love, a partir de segmentos caulinares crescidos na ausência de luz e os efeitos dos thidiazuron nos teores endógenos do ácido indolilacético, de citocininas, de carboidratos solúveis e aminoácidos em brotos desse híbrido, associando-os ao processo de transição floral in vitro. Foram realizados, ainda, estudos anatômicos com a finalidade de se caracterizar alterações histológicas nos meristemas apicais dos brotos durante a transição floral. A micropropagação de Dendrobium Second Love na presença de thidiazuron e através do uso de segmentos caulinares estiolados, apresentaram-se como técnicas viáveis e eficazes para sua multiplicação em larga escala. A frutose foi a fonte de carboidratos mais favoráveis ao desenvolvimento dos brotos desse híbrido, embora a adição de sacarose ao meio de cultura até2-3% e 3-4%, na presença de luz, tenha favorecido também a proliferação de brotos e o acúmulo de massa seca, respectivamente. Esse dissacarídeo foi o principal açucar encontrado nos brotos de Dendrobium Second Love. O uso de um meio com baixa concentração de sais, em conjunto com uma concentração ideal de citocininas, favoreceu tanto a formação e o crescimento de brotos, quanto o florescimento dessa orquídea in vitro. No caso das citocininas, o thidiazuron foi superior à benziladenina e à isopenteniladenina. Verificou-se que a presença de thidiazuron influenciou de maneira marcante os teores endógenos do ácido indolilacético, de citocininas, de carboidratos solúveis e de aminoácidos durante a transição floral. Aumentos nas concentrações do ácido indolilacético, isopentenil adenosina, zeatina ribosídica, zeatina, sacarose, glicose e dos aminoácidos asparagina, glutamina, tirosina e ornitina foram associados ao processo de indução floral, enquanto que um aumento na razão citocininas/ácido indolilacético, no período em que os primórdios florais tornaram-se visíveis, doi relacionado com a formação e desenvolvimento das flores. Esses resultados coincidiram com as alterações histológicas observadas nos meristemas apicais dos brotos durante a transição floral
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.04.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERREIRA, Wagner de Melo; KERBAUY, Gilberto Barbante. Comportamento organogenético de meristemas caulinares de Dendrobium Second Love (Orchidaceae) in vitro. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Ferreira, W. de M., & Kerbauy, G. B. (2004). Comportamento organogenético de meristemas caulinares de Dendrobium Second Love (Orchidaceae) in vitro. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Ferreira W de M, Kerbauy GB. Comportamento organogenético de meristemas caulinares de Dendrobium Second Love (Orchidaceae) in vitro. 2004 ;
    • Vancouver

      Ferreira W de M, Kerbauy GB. Comportamento organogenético de meristemas caulinares de Dendrobium Second Love (Orchidaceae) in vitro. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021