Exportar registro bibliográfico

Imaginário, educação e sensibilidade: a turma do 2º andar: cenas de um cotidiano escolar (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: PATRAO, MARLY COSTA - FE
  • Unidade: FE
  • Subjects: SALA DE AULA; COMPORTAMENTO (EDUCAÇÃO); INTERAÇÃO PROFESSOR ALUNO; IMAGINAÇÃO INFANTIL
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho propõe-se compreender as manifestações imaginárias de um grupo de alunos - Turma do 2° andar - de um curso superior em formação inicial, no cotidiano de uma sala de aula. O objetivo foi compreender essas manifestações imaginárias, buscando o revelado e o oculto, onde o afetual está presente, assim como, também, a aparência e a duplicidade, onde crenças e sonhos fundamentam atitudes. criando espaço e possibilidades para uma intervenção possível, "guiada", gestada, e executada por um imaginário: o de um professor-mediador. Esta abordagem envolve a compreensão de um imaginário grupal que organiza e desorganiza grupos de alunos na vida cotidiana escolar, abrindo novas possibilidades pedagógicas e de interação, num espaço burocrático instituído, onde os alunos possam criar e expressar-se, tocados na sua sensibilidade, através de um trabalho vivencial, considerando saberes e aprendizados individuais e coletivos. Alicerçada por uma base teórica profunda: Gilbert Durand, Gaston Bachelard, Edgar Morin, Michel Maffesoli, Didier Anzieu, entre outros, a pesquisa de cunho qualitativo, com uma atitude fenomenológica - compreensiva, situa-se na Área Temática da Pós-Graduação: "Cultura. Organização e Educação". Foi utilízada, como heurística privilegiada, o AT-9 (Arquétipo Teste de 9 elementos), criado por Yves Durand a partir da Teoria do Imaginário de Gilbert Durand). Este teste foi aplicado em duas fases, antes e após o trabalho vivencialinspirado nos quatro princípios das cosmologias intuitivas em Bachelard: a Terra, o Ar, a Água e o Fogo, ao lado de observações sistemáticas, entrevistas, histórias de vida, que, de forma complementar, auxiliaram no desvelar das práticas simbólicas. Foram apontadas inúmeras transições, que culminaram em acréscimos, mudanças e resistências para os atores envolvidos (alunos e professor). É uma abertura para uma pedagogia do ver-imaginar, onde é possível alimentar e cultivar a florescência das imagens no ser, num processo de redescoberta e revelação. É assim que o sonho e o devaneio podem entrar na escola, e o olhar, ultrapassando o mostrar, supera-se e abre-se a novos olhares. Nesta perspectiva, a participação emerge sob um outro registro, sob uma outra forma, com um sentido mágico e místico, uma dimensão bastante forte que leva à idéia de ligação com a alma, pedra, terra, com o mundo natural, com as Raízes de Empédocles: Terra. Ar, Água e Fogo, onde o paradoxo, a ambivalência, a complexidade acenam com uma nova razão: a do ser plural
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.04.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PATRÃO, Marly Costa; SUANO, Helenir. Imaginário, educação e sensibilidade: a turma do 2º andar: cenas de um cotidiano escolar. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Patrão, M. C., & Suano, H. (2004). Imaginário, educação e sensibilidade: a turma do 2º andar: cenas de um cotidiano escolar. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Patrão MC, Suano H. Imaginário, educação e sensibilidade: a turma do 2º andar: cenas de um cotidiano escolar. 2004 ;
    • Vancouver

      Patrão MC, Suano H. Imaginário, educação e sensibilidade: a turma do 2º andar: cenas de um cotidiano escolar. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021