Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Análise fitoquímica em Lythraceae sensu lato: importância taxonômica dos flavonóides e dos n-alcanos (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ROCINI, CINTIA - IB
  • Unidades: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: ÁRVORES ORNAMENTAIS; FLAVONÓIDES
  • Language: Português
  • Abstract: Folhas de 18 espécies de Lythraceae s. l. foram submetidas a análises fitoquímicas com o objetivo de obter caracteres adicionais para os estudos das realções filogenéticas na família. Os perfis flavonoídicos de 15 espécies foram determinados por técnicas cromatográficas e de espectrofotometria UV/VIS. Além de algumas agliconas livres (campferol, quercetina, luteolina e crisoeriol), foram detectados 3-O-glicosídeos de campferol, quercentina e miricetina e 7-O-glicosídeos de apigenia e luteolina. Entre as flavonas, também foram identificados C-glicosídeos e derivados substituídos no anel-B (Crisoeriol e flicosídeos de luteolina). O perfil flavonoídico de Lythraceae s. l. foi caracterizado pela ocorrência freqüente de flavonóides, principalmente dos derivados de quercetina. As frações de n-alcanos foram isoladas das ceras epicuticulares de 18 espécies por cromatografia em coluna de sílica. Os homólogos componentes das frações foram identificados e quantificados em cromatógrafos a gás. O perfil n-alcanos de Lythraceae s.l. foi caracterizado pelo predomínio dos homólogos ímpares e pelas altas concentrações de 'C IND.29' e 'C IND.31'. Os flavonóides e os n-alcanos foram utilizados em análise de agrupamento com o método UPGMA. As semelhanças entre os perfis flavonoídicos e Adenaria, Koehneria e Woodfordia e entre os perfis de Punica, Capuronia e Galpinia encontram respaldo na filogenia de Graham, baseada no seqüenciamento do espaçador intergênico trnL-F(dados não publicados). por outro lado, as relações químicas baseadas nas distribuições do n-alcanos não foram congruentes com os dados flavonoídicos e com nenhuma das hipóteses filogenéticas conhecidas para Lythraceae s. l. Contudo, a variabilidade interespecífica dos perfis de Ginora e de Lythrum talvez seja um indício da importância dos n-alcanos de Lythraceae s. l. como caracteres no nível infragenérico. As vias biossintéticas de derivados de falvonóides e os n-alcanos de cadeias ímpares foram definidos como caracteres filogenéticos com o objetivo de utilizá-los em matrizes de dados morfológicos e/ou moleculares
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.03.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ROCINI, Cíntia; SANTOS, Deborah Yara Alves Cursino dos. Análise fitoquímica em Lythraceae sensu lato: importância taxonômica dos flavonóides e dos n-alcanos. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Rocini, C., & Santos, D. Y. A. C. dos. (2004). Análise fitoquímica em Lythraceae sensu lato: importância taxonômica dos flavonóides e dos n-alcanos. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Rocini C, Santos DYAC dos. Análise fitoquímica em Lythraceae sensu lato: importância taxonômica dos flavonóides e dos n-alcanos. 2004 ;
    • Vancouver

      Rocini C, Santos DYAC dos. Análise fitoquímica em Lythraceae sensu lato: importância taxonômica dos flavonóides e dos n-alcanos. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019