Exportar registro bibliográfico

Estabilidade química e física de formulação dermocosméticas contendo retinaldeído (2004)

  • Authors:
  • Autor USP: BOODTS, JULIANA BEATRIZ - FCFRP
  • Unidade: FCFRP
  • Sigla do Departamento: 602
  • Subjects: COSMÉTICOS; CONTROLE FÍSICO-QUÍMICO DE QUALIDADE DOS MEDICAMENTOS
  • Language: Português
  • Abstract: Na área cosmética e dermatológica, constantemente, surgem substâncias ativas inovadoras com ações abrangentes e desafiadoras, porém existe uma necessidade crescente de se avaliar a segurança, a eficácia e a estabilidade de tais substâncias. Algumas moléculas da classe dos retinóides já vem sendo usadas de longa data, como é o caso da vitamina A (retinol) e do ácido retinóico, enquanto outras, como o retinaldeído (retinal), começam a surgir no mercado com a promessa de serem uma alternativa menos agressiva sem, no entanto, perder a eficácia e com maior estabilidade. Porém pouco se sabe sobre a real estabilidade de tal molécula quando veiculada em formulações cosméticas. Assim o objetivo deste trabalho foi avaliar a estabilidade química da referida molécula quando veiculada em formulações para os cuidados da pele, bem como avaliar a estabilidade física destas formulações. As formulações estudadas, que consistiram de géis cremes à base de hidroxietilcelulose e lecitina hidrogenada, isoparafina C13-14, álcool laurílico etoxilado 7 OE e poliacrilamida, foram armazenadas nas temperaturas ambiente, 37±1°C e 45±1°C, durante 28 dias, em estufas com umidificação, termo e foto período controlados, Eletrolab, modelo 111 FC. Em intervalos de tempo pré-estabelecidos, amostras destas formulações foram analisadas em reômetro programável DV-III Brookfield, tipo cone e prato, para a determinação da reologia e analisadas quanto à concentração de retinaldeído,por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE), usando-se um cromatógrafo líquido Shimadzu, modelo SPD 10A, acoplado a um detector ultravioleta com comprimento de onda variável. Nas condições experimentais desta pesquisa, concluiu-se que as formulações, acrescidas ou não de retinaldeído, foram estáveis fisicamente. O prazo de validade obtido para as formulações, em relação à estabilidade química, demonstrou ser melhor para a formulação à base de ... hidroxietilcelulose e lecitina hidrogenada, demonstrando a influência do veículo na estabilidade da referida vitamina
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.01.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BOODTS, Juliana Beatriz; MAIA-CAMPOS, Patrícia Maria Berardo G. Estabilidade química e física de formulação dermocosméticas contendo retinaldeído. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Boodts, J. B., & Maia-Campos, P. M. B. G. (2004). Estabilidade química e física de formulação dermocosméticas contendo retinaldeído. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Boodts JB, Maia-Campos PMBG. Estabilidade química e física de formulação dermocosméticas contendo retinaldeído. 2004 ;
    • Vancouver

      Boodts JB, Maia-Campos PMBG. Estabilidade química e física de formulação dermocosméticas contendo retinaldeído. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021