Exportar registro bibliográfico

Leveduras em trato intestinal de população pedriátrica hospitalizada (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: TALARICO, CLAUDIO - FCF
  • Unidade: FCF
  • Sigla do Departamento: FBC
  • Subjects: CANDIDÍASE (ESTUDO CLÍNICO); MICOLOGIA MÉDICA
  • Language: Português
  • Abstract: Nas últimas décadas, houve aumento progressivo das infecções hospitalares por leveduras principalmente, do gênero Candida. A fonte de infecção pode ser endógena ou exógena, desde que esporos unicelulares de leveduras, permanecem viáveis por meses sobre superfícies bióticas ou abióticas. Diversas espécies de leveduras são encontradas em pele e mucosas de indivíduos sadios. Em estado saprofítico ainda, as leveduras encontram-se no trato gastrintestinal humano mas, a relação entre a presença desses microorganismos e sua patogenicidade está associada a diversos fatores predisponentes, tais como: número e variedade de sítios topográficos colonizados, uso prolongado de antibióticos, infecções associadas causadas por outros microorganismos e particularmente, distúrbios imunológicos ou metabólicos. Leveduras do trato gastrintestinal podem ser transmitidas, via fecal-oral diretamente ou de modo indireto, de indivíduo para indivíduo. A transmissão de uma cepa em estado saprofítico para um hospedeiro suscetível, pode resultar em colonização seguida de infecção. A gravidade do quadro clínico depende de condições do hospedeiro e características do agente etiológico que engloba fatores de virulência e resistência a antifúngicos. Esses atributos são importantes em Candida albicans na qual, enzimas com atividade de fosfolipase e proteinase são marcadores de virulência. De outro modo, fenótipos de resistência, ocorrem, com maior freqüência, em espécies não Candida albicans. Dada apossibilidade de instalação de doença endógena e a dispersão de cepas virulentas e resistentes, a partir de colonização gastrintestinal, estudos que contribuam para a determinação desses agentes constituintes da microbiota de pacientes internados, são importantes para o conhecimento da história natural das infecções nosocomiais por leveduras. Os objetivos deste trabalho foram avaliar o trato intestinal como fonte potencial de infecção hospitalar ) por leveduras, descrevendo as espécies prevalentes nas primeiras horas de internação e possíveis alterações temporais, quanto a fenótipo de virulência e resistência a antifúngicos. Foram analisadas 281 amostras de leveduras isoladas de 66 crianças internadas em unidades de pediatria e semi-intensiva de hospitais públicos das cidades de São Paulo e Guarulhos, Brasil. As amostras foram isoladas de fezes coletadas nas primeiras horas de internação e durante o período de internação. A identificação das leveduras quanto a gênero e espécie foram realizadas por métodos tradicionais, analisando aspectos morfológicos e fisiológicos. A capacidade de produção de enzimas, fosfolipase e proteinase, foram verificadas conforme proposto por Price et al.1982 e Ruchêl et al., 1982. A sensibilidade aos antifúngicos: anfotericina B (AMB), fluconazol (FZ), itraconazol (IZ), cetoconazol (CZ) e nistatina (NIS) foram analisada pela técnica de difusão por discos (CECON São Paulo, Brasil). Amostras resistentes ou com sensibilidadeintermediária, foram re-avaliadas pelo método de microdiluição segundo NCCL (1997) modificado por EUCAST (2002). As espécies isoladas foram: Candida tropicalís (32,7 'POR CENTO'), C.albícans (29,9'POR CENTO'), C.parapsílosís (27,1'POR CENTO'), Trichosporon cutaneum e T.ínkín (3,2%), Rhodotorula mucílagínosa e R.glutínís (0,7'POR CENTO'), C.kruseí (3,6'POR CENTO'), C.guílliermondií (2,1'POR CENTO'), C.glabrata (0,4'POR CENTO') e C.kefyr (0,4'POR CENTO'). A atividade enzimática foi observada na maioria das 84 amostras de C.albícans, sendo 96'POR CENTO' de fosfolipase e 95'POR CENTO' de proteinase. Entre as espécies não-albícans do gênero Candida foi verifica da atividade em 97'POR CENTO' de fosfolipase e 67'POR CENTO' de proteinase. Amostras menos sensíveis às drogas azólicas, ou seja, amostras resistentes ou com sensibilidade dependente da dose, foram encontradas em 4,3'POR CENTO' das 281 ) amostras de leveduras, sendo maior porcentagem observada em C.kruseí (90'POR CENTO'). Conclui-se que existem leveduras de diversas espécies em fezes de população pediátrica hospitalizada, com fenótípos de virulência e resistência a antifúngicos. A manutenção desses fenótipos durante o período de internação pode representar fator de risco para infecção hospitalar endógena, ou ainda, fonte de dispersão de patógenos em potencial, no meio ambiente hospitalar
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.12.2003
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TALARICO, Cláudio; MELHEM, Marcia de Souza Carvalho. Leveduras em trato intestinal de população pedriátrica hospitalizada. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-22052015-171831/pt-br.php >.
    • APA

      Talarico, C., & Melhem, M. de S. C. (2003). Leveduras em trato intestinal de população pedriátrica hospitalizada. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-22052015-171831/pt-br.php
    • NLM

      Talarico C, Melhem M de SC. Leveduras em trato intestinal de população pedriátrica hospitalizada [Internet]. 2003 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-22052015-171831/pt-br.php
    • Vancouver

      Talarico C, Melhem M de SC. Leveduras em trato intestinal de população pedriátrica hospitalizada [Internet]. 2003 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-22052015-171831/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021