Exportar registro bibliográfico

Influência do puerpério e da retenção dos anexos fetais sobre o hemograma de fêmeas bovinas da raça Holandesa (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SAUT, JOAO PAULO ELSEN - FMVZ
  • Unidades: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCM
  • Subjects: CONTAGEM DE CÉLULAS SANGUÍNEAS; BOVINOS; PUERPÉRIO ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: Com o objetivo de avaliar a influência do puerpério sobre o quadro hemático, bem como avaliar a influência da retenção dos anexos fetais sobre os constituintes do hemograma de fêmeas bovinas da raça Holandesa, foram colhidas amostras de sangue, de vacas nos primeiros 90 dias após o parto. No primeiro experimento, delineado para avaliar a influência do puerpério, foram colhidas amostras de sangue de 142 fêmeas bovinas, consideradas clinicamente sadias e não reagentes ao antígeno (GP 51) do vírus da Leucose dos Bovinos, divididas em 9 grupos experimentais, de acordo com o momento de colheita, respectivamente, entre 0 -I 1 dia, 1 -I 2 dias, 2 -I 4 dias, 4 -I 6 dias, 6 -I 8 dias, 8 -I 15 dias, 15 -I 30 dias, 30 -I 60 dias e 60 -I 90 dias após o parto. No segundo experimento, delineado para avaliar a influência da retenção dos anexos fetais sobre o hemograma, foram colhidas amostras de sangue de 59 fêmeas bovinas que retiveram os anexos fetais por mais de 12 horas e não reagentes ao antígeno (GP 51) do vírus da Leucose dos Bovinos, divididas em 4 grupos experimentais, de acordo com o momento de colheita, respectivamente, entre 1 -I 4 dias, 4 -I 10 dias, 10 -I 30 dias e 30 -I 90 dias após o parto. Nas amostras de sangue, colhidas em frascos contendo EDTA, foram realizadas as seguintes provas: contagem do número de hemácias, em câmara de Neubauer modificada, utilizando-se líquido de Gower como diluidor; determinação do volume globular, pelo método do microhematócrito; dosagemde hemoglobina, pelo método da cianometahemoglobina; e, o cálculo dos índices hematimétricos (VCM, HCM e CHCM). A contagem do número total de leucócitos foi realizada em câmara de Neubauer modificada, utilizando-se o líquido de Thoma como diluidor e a contagem diferencial de leucócitos, efetuada em esfregaços sangüíneos, corados pelo método de Rosenfeld. A análise dos resultados permitiu afirmar que o eritrograma sofreu influência do puerpério, (continua) ) sendo essa influência perceptível nas primeiras 24 horas após o parto, pois o número de hemácias, a taxa de hemoglobina e o volume globular foram maiores do que os observados nos dias subseqüentes, ou seja, nos bovinos a hemoconcentração observada nos últimos dias de gestação e durante o parto, desaparece nas primeiras 24 horas de puerpério. Apesar dessa influência, os valores obtidos para os constituintes do eritrograma estavam dentro dos limites dos valores de referência, das raças de bovinos leiteiros criados no Estado de São Paulo, não justificando ao final dessa dissertação, a apresentação de valores de referência do eritrograma para o período estudado, sendo que os valores oscilaram: hemácias, entre 5,08 ± 0,60 e 6,11 '+ OU -' 0,72 hemácias /'mü'l; taxa de hemoglobina, entre 9,85 '+ OU -' 1,16 e 11,46 '+ OU -' 1,40 g/dl; volume globular, entre 27,9 '+ OU -' 3,3 e 31,9 '+ OU -' 3,6 %; VCM, entre 50,10 '+ OU -' 5,90 e 55,27 '+ OU -' 6,88 fl; HCM, entre 18,19 '+ OU -' 1,63 e 19,50 '+ OU -' 2,76 pg; CHCM,entre 34,83 '+ OU -' 2,07 e 36,88 '+ OU -' 1,67 %. Durante todo o período estudado o quadro leucocitário foi predominantemente linfocitário, sendo nas primeiras 24 horas após a parição observado uma leucocitose fisiológica por neutrofilia com desvio à esquerda regenerativo, linfocitose e eosinopenia. Na primeira semana após o parto ocorreu a diminuição gradual do número de leucócitos, devido à redução do número absoluto de neutrófilos e linfócitos, sendo que exceção feita ao número absoluto de eosinófilos, nas amostras colhidas entre 6-I 8 dias após o parto os valores dessas variáveis já estavam nos patamares observados nos animais fora do puerpério. Diante da magnitude das modificações do quadro leucocitário, recomenda-se a adoção dos seguintes valores de referência na primeira semana de puerpério: leucócitos, entre 18.977 '+ OU -' 5.644 e 12.247 '+ OU -' 5.058 leucócitos /'mü'l; (continua) ) 18.977 '+ OU -' 5.644 e 12.247 '+ OU -' 5.058 leucócitos /'mü'l; neutrófilos bastonete, entre 532 '+ OU -' 547 e 88 '+ OU -' 174 neutrófilos bastonete /'mü'l; neutrófilos segmentado, entre 7.920 '+ OU -' 2.689 e 4.289 '+ OU -' 4.039 neutrófilos segmentado /'mü'l; total de neutrófilos, entre 8.453 '+ OU -' 2.956 e 4.376 '+ OU -' 4.139 neutrófilos /'m¨'l; eosinófilos, entre 334 '+ OU -' 387 e 225 '+ OU -' 298 eosinófilos /'mü'l; basófilos, entre 50 '+ OU -' 128 e 23 '+ OU -' 45 basófilos /'mü'l; linfócitos, entre 10.004 '+ OU -' 4.901 e 7.595 '+ OU -' 3.127 linfócitos/'mü'l; monócitos, entre 121 '+ OU -' 178 e 21 '+ OU -' 85 monócitos /'mü'l. Nos primeiros dez dias após o parto, o eritrograma não sofreu influência da retenção dos anexos fetais, porém, com a evolução do puerpério (entre 10 -I 30 dias após o parto) observou-se nas vacas com retenção dos anexos fetais, que o número de hemácias foi menor do que o observado em animais sadios, sendo recomendado outras pesquisas para esclarecer, em definitivo, se durante a evolução do quadro clínico da retenção dos anexos fetais, ocorre anemia de grau leve entre o 1'0 GRAUS' e 3'0 GRAUS' dia após o parto. O quadro leucocitário de vacas com retenção dos anexos fetais caracterizou-se por leucopenia por neutropenia com desvio à esquerda degenerativo e eosinopenia. Sob o ponto de vista hematológico, essa condição patológica foi responsável por graves alterações no leucograma, demonstrando que a medula não conseguia responder de forma satisfatória aos estímulos do processo de doença e /ou toxiinfeccioso instalado. A partir do 1'0 GRAUS' dia após o parto, o leucograma deixa de sofrer influência da retenção dos anexos fetais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.02.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SAUT, João Paulo Elsen; BIRGEL JUNIOR, Eduardo Harry. Influência do puerpério e da retenção dos anexos fetais sobre o hemograma de fêmeas bovinas da raça Holandesa. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Saut, J. P. E., & Birgel Junior, E. H. (2004). Influência do puerpério e da retenção dos anexos fetais sobre o hemograma de fêmeas bovinas da raça Holandesa. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Saut JPE, Birgel Junior EH. Influência do puerpério e da retenção dos anexos fetais sobre o hemograma de fêmeas bovinas da raça Holandesa. 2004 ;
    • Vancouver

      Saut JPE, Birgel Junior EH. Influência do puerpério e da retenção dos anexos fetais sobre o hemograma de fêmeas bovinas da raça Holandesa. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020