Exportar registro bibliográfico

Ergatoginia e reprodução em Blepharidatta conops Kempf, 1967 (Hymenoptera, Formicidae, Myrmicinae) (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, PATRICIA ROMANO DA - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: HYMENOPTERA; FORMICIDAE; COMPORTAMENTO ANIMAL; ENTOMOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho trata da reprodução em Blepharidatta, um gênero de Myrmicinae, exclusivamente neotropical onde jamais foram registradas gines verdadeiras (chamadas popularmente de rainhas), isto é, fêmeas reprodutoras geralmente maiores que as operárias, que apresentam troncos modificados com escleritos e musculatura adaptados para o vôo, que emergem com asas que perdem após a fecundação e têm órgãos reprodutores funcionais. No caso de Blepharidatta, a função reprodutiva é de responsabilidade exclusiva de rainhas modificadas, chamadas de ergatóides pela sua morfologia semelhante à de operárias. Na área onde as asas são normalmente inseridas nas rainhas das formigas, existe nas ergatóides de Blepharidatta conops Kempf 1967, uma mancha escura que corresponde ao microscópio eletrônico de varredura a dois brotos alares, que não se desenvolvem e apresentam na base comum, um poro, semelhante ao que, na literatura está descrito como o que se origina de glândulas epidérmicas. Quando retiramos as ergatóides de colônias de B. conops mantidas em laboratório, as operárias selecionam uma das larvas pré-existentes na colônia, super alimentada através de trofaláxis, que se desenvolve em uma nova ergatóide em algumas semanas. Esta observação levou à hipótese de que a ergatóide presente controla a produção de novas reprodutoras na colônia e que talvez este controle esteja relacionado com alguma substância produzida pela glândula sob os poros em questão. Nestatese, investiguei o mecanismo de controle de novas ergatóides de B. conops a partir do acompanhamento de colônias com e sem ergatóides, em situações experimentais em laboratório. Além disso investiguei as aparentes disputas entre operárias de B. conops por seus próprios imaturos. Mantive e observei colônias de duas outras espécies do gênero (B. Brasiliensis e Blepharidatta sp) em ninhos artificiais em laboratório, que apesar de não apresentarem as mesmas ... modificações das ergatóides de B. conops, suas gines também são ergatóides e quando retiradas artificialmente, as colônias produzem novas reprodutoras. Pude assim comparar as três espécies e discutir a evolução da ergatoginia no gênero
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.10.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Patrícia Romano da; BRANDÃO, Carlos Roberto Ferreira. Ergatoginia e reprodução em Blepharidatta conops Kempf, 1967 (Hymenoptera, Formicidae, Myrmicinae). 2003.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2003.
    • APA

      Silva, P. R. da, & Brandão, C. R. F. (2003). Ergatoginia e reprodução em Blepharidatta conops Kempf, 1967 (Hymenoptera, Formicidae, Myrmicinae). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Silva PR da, Brandão CRF. Ergatoginia e reprodução em Blepharidatta conops Kempf, 1967 (Hymenoptera, Formicidae, Myrmicinae). 2003 ;
    • Vancouver

      Silva PR da, Brandão CRF. Ergatoginia e reprodução em Blepharidatta conops Kempf, 1967 (Hymenoptera, Formicidae, Myrmicinae). 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020