Exportar registro bibliográfico

Ecologia de bagres heptapterídeos no rio Morato, Guaraqueçaba - PR (Siluriformes: Heptapteridae) (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, LUIZ FERNANDO DUBOC DA - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIZ
  • Subjects: ZOOLOGIA (ESTUDOS ESPECÍFICOS); ECOLOGIA ANIMAL; SILURIFORMES; BAGRE
  • Language: Português
  • Abstract: Apresentado um estudo sobre a ecologia de três espécies de bagres heptapterídeos -Pimelodella pappenheimi, Rhamdia quelen e Rhamdioglanis frenatus - em um riacho da Mata Atlântica subtropical da RPPN Salto Morato, no Estado do Paraná, Brasil. Os trabalhos de campo foram desenvolvidos por um período de 24 meses e as análises realizadas a partir de dados obtidos através dos métodos de coleta tradicionais e por marcação-recaptura, complementados por observações subaquáticas diretas através de mergulho livre. A interpretação da estrutura populacional e das preferências de ocupação ambiental leva a crer que Pimelodella pappenheimi seja a espécie de menor porte e a mais abundante entre as três estudadas e Rhamdia quelen, a de maior porte, enquanto os resultados não permitem conclusões sobre a densidade de Rhamdioglanis frenatus. As espécies possuem atividade preferencialmente noturna, estando mais ou menos segregadas por hábitat. Pimelodella pappenheimi prefere remansos de fundo arenoso, Rhamdioglanis frenatus, fortes corredeiras com fundo rochoso e Rhamdia quelen ocupa praticamente todos os ambientes, com ligeira preferência por ambientes menos lóticos. As vísceras foram analisadas para a determinação da dieta através do exame do conteúdo estomacal, e estudo da reprodução a partir da pesagem e análise macroscópica das gônadas. Análises do crescimento foram realizadas a partir dos dados obtidos por marcação-recaptura, análise dos otólitos e distribuição dasfreqüências de tamanho. Os resultados obtidos para o crescimento destas espécies demonstram altos valores de K, sugerindo um crescimento rápido e mais acelerado no primeiro ano, altas taxas de mortalidade e longevidade baixa, o que é compatível com as limitações impostas pelas condições de um riacho da Mata Atlântica. A reprodução de Pimelodella pappenheimi e Rhamdia quelen parece ocorrer em ciclo anual regular e longo, com pico no final da estação das chuvas. Rhamdioglanis frenatus aparenta possuir ciclos irregulares e mais curtos, com dois possíveis picos reprodutivos dentro da estação menos úmida. A estratégia do ciclo de vida das três espécies segue a "sazonal" proposta por Winemiller. A formação dos anéis de crescimento coincide com os períodos reprodutivos, sendo que Pimelodella pappenheimi e Rhamdioglanis frenatus apresentaram um máximo de quatro anéis e Rhamdia quelen, cinco. A alimentação é basicamente generalista e oportunista, baseada principalmente em itens autóctones nas estações menos limitantes (mais frias e/ou secas), tais como decápodos, escamas e peixes. Os itens alóctones ganham maior importância no inverno, assim como a segregação trófica, havendo indícios de partilha de recursos e exclusão competitiva entre as três espécies. Em relação aos três principais eixos de recursos do nicho n-dimensional, as três espécies parecem segregadas no eixo espaço enquanto compartilham os eixos alimento e tempo. Pimelodellapappenheimi utiliza de forma mais ampla um ambiente mais restrito, consumindo variados itens dos remansos, enquanto Rhamdia quelen consome itens generalizados dos vários ambientes, embora de forma menos frequente em qualquer um deles. Por outro lado, Rhamdioglanis frenatus é o que parece possuir o menor espectro alimentar, consumindo preferencialmente itens de ambiente mais lótico, demonstrando também ser a espécie mais especializada em carnivoria das três. Foram realizadas também algumas observações gerais sobre Acentronichthys leptos, a quarta e última espécie de Heptapteridae de ocorrência na bacia e também a de menor porte, a qual parece ocupar preferencialmente a vegetação ribeirinha. A análise evolutiva faz supor um alto grau de ligação entre a ecologia e fatores históricos das espécies estudadas, embora as adaptações locais por flexibilidade fenotípica pareçam ser também importantes estratégias da família na ocupação dos ambientes de riachos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.09.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DUBOC, Luiz Fernando; TRAJANO, Eleonora. Ecologia de bagres heptapterídeos no rio Morato, Guaraqueçaba - PR (Siluriformes: Heptapteridae). 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Duboc, L. F., & Trajano, E. (2003). Ecologia de bagres heptapterídeos no rio Morato, Guaraqueçaba - PR (Siluriformes: Heptapteridae). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Duboc LF, Trajano E. Ecologia de bagres heptapterídeos no rio Morato, Guaraqueçaba - PR (Siluriformes: Heptapteridae). 2003 ;
    • Vancouver

      Duboc LF, Trajano E. Ecologia de bagres heptapterídeos no rio Morato, Guaraqueçaba - PR (Siluriformes: Heptapteridae). 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021