Exportar registro bibliográfico

As práticas de enfermagem em saúde da mulher, em Minas Gerais: um olhar de gênero (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: COELHO, SUELENE - ENFERM
  • Unidade: ENFERM
  • Sigla do Departamento: ENS
  • Subjects: SAÚDE DA MULHER; GÊNEROS (GRUPOS SOCIAIS); ENFERMAGEM
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo teve como objeto as práticas de enfermagem em saúde da mulher, desenvolvidas pelas enfermeiras (os) que atuam na Secretaria Municipal de Saúde dos municípios de Belo Horizonte e de Diamantina/MG. Tomando-se como referencial teórico a análise institucional articulada à categoria gênero, buscou-se compreender a visão de mundo acerca do processo saúde-doença das mulheres e refletir sobre a prática de saúde e da enfermagem, vislumbrando-se alternativas para a superação das contradiões, principalmente no que tange à determinação social dos processos que envolvem mulheres e homens, seja como objetos, seja como instrumento do processo de trabalho em saúde. Os dados foram coletados por meio da Oficina de Trabalho, cujos temas "Mulher, Vida, Mundo e Saúde-doença", "O Ônus e o Bônus de ser Enfermeira(o) e "As práticas de Enfermagem: um Olhar de Gênero", possibilitaram realizar um movimento entre as três dimensões dialéticas da realidade: a estrutural, a particular e a singular. A reflexão desenvolvida pelas enfermeiras(os) apontou os principais problemas do mundo atual e sua relação com o processo saúde-doença das mulheres. Desvelou-se que o ônus de ser enfermeira(o) está relacionado principalmente às deficientes condições de trabalho nos serviços de saúde, alidas à sobrecarga de trabalho, fazendo com que haja um inmvestimento maior na vida profissional, em detrimento da pessoal. O bônus de ser enfermeira(o) foi identificado com a própria opção pelaenfermagem, os desafios enfrentados e as comquistas realizadas no campo da saúde. A análise das situações de práticas descritas pelas depoentes permitiu evidenciar três categorias empíricas - cuidando de famílias em situação de alto risco social: um desafio para a enfermagem; cuidando de mulheres que sofreram violência: de vítimas a culpadas, e deparando com a vivência da sexualidade no momento do cuidar. Ao submeter as práticas desenvolvidas pelas(os) ) enfermeiras(os) ao olhar de gênero, evidenciou-se que estas(es) trabalham de forma solidária e multiprofissional, estabelecem relações de escuta e de ajuda terapêutica com as usuárias dos serviços básicos de saúde. O estudo mostrou que a visão biologicista é um instituído forte e apontou a necessidade de aprofundar ololhar em áreas pouco trabalhadas pelos profissionais de saúde como famílias com alto risco social, a violência doméstica e extra-doméstioca, a vivência da sexualidade humana e as relaçõies interpessoais, entre elas, as afetivo-sexuais. A reflexão teórico-prática sobre a visão de mundo, da mulher e da enfermagem, bem como as vivências experimentadas pelas(os) enfermeiras(os) em seu cotidiano de trabalho revelaram-se um componente fundamental para a construção de instrumentos de intervenção em saúde coletiva, possibilitando o surgimento de uma práxis inovadora para o cuidado de enfermagem
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.09.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      COELHO, Suelene; FONSECA, Rosa Maria Godoy Serpa da. As práticas de enfermagem em saúde da mulher, em Minas Gerais: um olhar de gênero. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Coelho, S., & Fonseca, R. M. G. S. da. (2003). As práticas de enfermagem em saúde da mulher, em Minas Gerais: um olhar de gênero. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Coelho S, Fonseca RMGS da. As práticas de enfermagem em saúde da mulher, em Minas Gerais: um olhar de gênero. 2003 ;
    • Vancouver

      Coelho S, Fonseca RMGS da. As práticas de enfermagem em saúde da mulher, em Minas Gerais: um olhar de gênero. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021