Exportar registro bibliográfico

Calor, chuva, tela e canivete: a pintura no tempo do modernismo em Belém (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: FARIAS, EDISON DA SILVA - ECA
  • Unidade: ECA
  • Sigla do Departamento: CAP
  • Subjects: PINTURA; MODERNISMO
  • Language: Português
  • Abstract: "Calor, chuva, tela e canivete - A pintura no tempo do modernismo em Belém", é o resultado da pesquisa realizada durante alguns anos na passagem do século XX para o XXI que escolheu, prioritariamente, como tema as pinturas e expressões bidimensionais produzidas em Belém, Estado do Pará, nas décadas de 20, 30, 40, 50 e 60. O trabalho preocupa-se em destacar a produção simbólica dos artistas pintores do período e demonstrar no contexto histórico e geográfico os níveis de vinculação dessas produções com o discurso e o programa modernista preconizados por Mario de Andrade e seus epígonos; isto, independentemente de valorações vinculadas a idéia de considerar ou não arte com "A", os objetos destacados. Joaquim Inojosa discorrendo sobre o modernismo, afirma que no Pará o movimento renovista teve o seu terceiro momento, sendo seguido por Belo Horizonte, Minas Gerais. Tendo como esteira para o pensamento crítico, as teorias sobre modernismo, modernização e modernidade e, considerando o debate gerado pelas dicotomias regional/universal, erudito/popular e, em extensão, antigo/moderno, a partir do entendimento de hibridização cultural, principalmente quando do advento da modernidade em alguns centros urbanos da América Latina, na teoria sociológica trabalhada por Néstor Garcia Canclini, o presente estudo quer medir, atestar e avaliar o quanto e como o fenômeno de hibridismo cultural citado acima, procede dentro das artes plásticas no campo cultural de Belém e quaisas repercussões deste no modernismo das obras estudadas. Desconstruindo as narrativas dos sujeitos implicados com o problema, críticos ou não, através de uma farta documentação gravada e escrita, principalmente em periódicos publicados nas décadas sob análise, o trabalho reconstrói um arcabouço teórico e iconográfico abrindo de forma inédita o debate sobre o modernismo nas artes plásticas no Norte do Brasil (continuação) Making deconstructions in the subjects actors' narratives or, not of the history and analyzing the critic of local art, through full recorded documentation, mainly in newspapers published by decades on analysis, the work reconstructs a theoretical thought and iconographic opening in an unpublished way, the debate about the modernism in the plastic arts in the north of Brazil
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.10.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FARIAS, Édison da Silva; FARIA, Neide Antonia Marcondes de. Calor, chuva, tela e canivete: a pintura no tempo do modernismo em Belém. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Farias, É. da S., & Faria, N. A. M. de. (2003). Calor, chuva, tela e canivete: a pintura no tempo do modernismo em Belém. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Farias É da S, Faria NAM de. Calor, chuva, tela e canivete: a pintura no tempo do modernismo em Belém. 2003 ;
    • Vancouver

      Farias É da S, Faria NAM de. Calor, chuva, tela e canivete: a pintura no tempo do modernismo em Belém. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021