Exportar registro bibliográfico

Estudo imunoistoquímico das proteínas da matriz extracelular óssea nos maxilares em fetos humanos (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: BARBOZA, CARLOS AUGUSTO GALVAO - FO
  • Unidade: FO
  • Sigla do Departamento: ODE
  • Subjects: PROTEÍNAS DE MATRIZ EXTRACELULARES; MAXILAR; PATOLOGIA BUCAL; FETO
  • Language: Português
  • Abstract: No tecido ósseo, a matriz extracelular tem um papel importante na diferenciação e atividade das células ósseas, bem como no processo de mineralização. O presente trabalho teve como objetivo estudar a expressão imunoistoquímica de importantes proteínas da matriz extracelular em fragmentos de palato e mandíbula obtidos de 7 fetos humanos com idades variando de 16 a 24 semanas de vida intra-uterina. Foram utilizados anticorpos contra os seguintes antígenos: colágenos tipo I (COL I) e tipo III (COL III), fibronectina (FBN), tenascina (TNC), osteonectina (ONC), osteopontina (OPN), sialoproteína óssea (BSP) e osteocalcina (OCC). Os resultados mostraram que o COL I foi expresso na matriz mineralizada, no osteóide, na matriz fibrosa e nos osteoblastos; osteócitos foram fracamente positivos e osteoclastos foram negativos para esta proteína. O COL III foi expresso na matriz fibrosa e fracamente positivo no osteóide, nos osteoblastos e nos osteócitos. Imunomarcação para FBN foi identificada no osteóide, na matriz fibrosa e nos osteoblastos, sendo fraca nos osteoclastos. A TNC foi identificada no osteóide e na matriz fibrosa próxima à área de ossificação, estando fracamente marcada nos osteoblastos. A ONC foi marcada no osteóide, na matriz fibrosa e nos osteoclastos e foi fracamente observada nos osteoblastos e nos osteócitos. A expressão da OPN foi positiva na matriz mineralizada e fracamente identificada no osteóide e nos osteoblastos. A marcação para BSP foipositiva no osteóide, nos osteoblastos e nos osteócitos, e considerada fracamente positiva na matriz mineralizada, na matriz fibrosa e nos osteoclastos. A OCC foi fortemente expressa nos osteoblastos e nos osteoclastos e fracamente marcada no osteóide, na matriz fibrosa e nos osteócitos. A grande variação no padrão de marcação das proteínas estudadas reflete a multiplicidade de funções que elas desempenham e a dinâmica estrutural do tecido ósseo em desenvolvimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.09.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARBOZA, Carlos Augusto Galvão; ARAÚJO, Ney Soares de. Estudo imunoistoquímico das proteínas da matriz extracelular óssea nos maxilares em fetos humanos. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Barboza, C. A. G., & Araújo, N. S. de. (2003). Estudo imunoistoquímico das proteínas da matriz extracelular óssea nos maxilares em fetos humanos. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Barboza CAG, Araújo NS de. Estudo imunoistoquímico das proteínas da matriz extracelular óssea nos maxilares em fetos humanos. 2003 ;
    • Vancouver

      Barboza CAG, Araújo NS de. Estudo imunoistoquímico das proteínas da matriz extracelular óssea nos maxilares em fetos humanos. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021