Exportar registro bibliográfico

Expressão de metaloproteinases no adenoma pleomórfico. Análise através de zimografia e de imunofluorescência in vitro e de imunohistoquímica in vivo (2003)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREIRA, AYMANN NASSIF - FO
  • Unidade: FO
  • Sigla do Departamento: ODE
  • Subjects: ADENOMA PLEOMÓRFICO; GLÂNDULA SUBMANDIBULAR; NEOPLASIAS EPITELIAIS E GLANDULARES
  • Language: Português
  • Abstract: O adenoma pleomórfico é um tumor benigno de origem na glândula salivar caracterizado por um crescimento lento e indolor. Histologicamente apresenta parênquima epitelial de arranjos variáveis, nos quais são vistas células luminais, mioepiteliais e plasmocitóides e um componente estromal rico, cuja gama de macromolélulas constituintes é extensa. Apesar da matriz extracelular tão rica, poucos estudos são realizados para elucidar seu padrão de invasão baseado na proteólise dessa matriz. Além disso, locais de erosão capsular do adenoma pleomórfico por provável proteólise e expressões variáveis em locais distintos de N-CAM nesta neoplasia, foram fatos que nos fizeram supor que o adenoma pleomórfico secreta metaloproteinases e estas devem contribuir para sua invasão. Por isso, realizamos estudo em cultura de células originadas de um adenoma pleomórfico de glândula submandibular, células AP5, e estudo in vivo através de biópsias de adenoma pleomórfico emblocados em parafina. In vitro estudamos os meios condicionados por 24 horas pelas células AP5 através do gel de gelatina em zimografia. Também em cultura dessas células foram feitas reações de imunofluorescência para as MMPs 1, 2, 3 e 9. No material emblocado também realizamos reações de imunohistoquímica para as MMPs 1, 2, 3 e 9. Como resultados verificamos através da zimografia que as células AP5 secretam as MMPs 9 latente e ativa e 2 latente. Na imunofluorescência as células AP5 foram positivas para MMPs 9, 2 e 1. Emimunohistoquímica o tumor foi positivo para MMPs 1, 2, 3 e 9, porém em expressões e padrões variáveis. Apesar da expressão de metaloproteinases no adenoma pleomórfico in vivo e in vitro, é cedo concluir que estas proteases são as principais responsáveis pelo padrão de invasão desta neoplasia, já que a invasão neoplásica é um processo complexo e dinâmico, o qual envolve múltiplas etapas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.07.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Aymann Nassif; ARAÚJO, Ney Soares de. Expressão de metaloproteinases no adenoma pleomórfico. Análise através de zimografia e de imunofluorescência in vitro e de imunohistoquímica in vivo. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Pereira, A. N., & Araújo, N. S. de. (2003). Expressão de metaloproteinases no adenoma pleomórfico. Análise através de zimografia e de imunofluorescência in vitro e de imunohistoquímica in vivo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Pereira AN, Araújo NS de. Expressão de metaloproteinases no adenoma pleomórfico. Análise através de zimografia e de imunofluorescência in vitro e de imunohistoquímica in vivo. 2003 ;
    • Vancouver

      Pereira AN, Araújo NS de. Expressão de metaloproteinases no adenoma pleomórfico. Análise através de zimografia e de imunofluorescência in vitro e de imunohistoquímica in vivo. 2003 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020